a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 641, referente ao período de 15 a 21 de outubro de 2017. ***** Editor: Daslan Melo Lima ***** Timbaúba, Pernambuco, Brasil ***** Telefone: (81) 9.9612-0904 (Tim). ***** WhatsApp: +55 81 9.9612.0904 ***** E-mail: daslan@terra.com.br

sábado, 14 de outubro de 2017

"Todas as pessoas grandes já foram crianças"

          




            Na quinta-feira, levei o menino que um dia eu fui até à praça do meu bairro, onde o governo municipal estava promovendo uma tarde de lazer para a garotada. Ainda bem que ele entendeu que eu não podia utilizar os brinquedos ao seu lado. 
          "Todas as pessoas grandes já foram crianças. Mas poucas dentre elas se lembram disso", disse Antoine de Saint-Exupéry. 
----------
- Daslan Melo Lima

*****

MEMÓRIAS DE SÃO JOSÉ DA LAJE - Em celeste harmonia

   


       Numa noite mariana da Cruzada Eucarística Infantil, na Igreja Matriz, eu fui um dos meninos a deixar flores no altar de Nossa Senhora de Lourdes. O hino que cantávamos dizia assim: 


Queremos a Maria, flores oferecer.
Aceita, oh Virgem Pia, o nosso bem querer. 

Mais que o nosso amor, recebe hoje a flor. 
Oh, doce Virgem Pia, fazei que no céu, possamos sem véu 
contemplar-te um dia, cantar com alegria, 
ao teu louvor, ao teu amor, em celeste harmonia. 

A flor da magnólia, a rosa de puro amor, 
o lírio da castidade nós damos em teu louvor.

       Hoje, diante deste altar, em lugar de flores para ofertar, o menino que fui prefere ouvir o silêncio e captar a celeste harmonia que envolve o local. 
----------
Daslan Melo Lima - Memórias de São José da Laje, a cidadezinha alagoana onde nasci.


*****

DE TIMBAÚBA PARA O MUNDO - Manoel Alves Soares, o legado de um homem íntegro


>>>>> Ele partiu no dia 19 de agosto da forma como pedia em suas orações




         Manoel Alves Soares, filho primogênito de uma família humilde com oito irmãos, nasceu em Condado, em 29 de setembro de 1929. Desde muito cedo trabalhou para ajudar no sustento da casa. Em dezembro de 1941, aos doze anos de idade, mudou-se para Timbaúba em busca de emprego e logo começou a trabalhar na mercearia de Antônio Tavares. Em 1949, esta mercearia transformou-se na Padaria Vitória. Foi o seu início no mercado de panificação, onde chegou a ser sócio em 1957.
     No período em que trabalhou na mercearia, conheceu a afilhada de Antônio Tavares, Miriam Alves, com a qual casou-se em 30 de janeiro de 1951, constituindo uma bela família com nove filhos: Marineide, Marinalva, Marineuza, Marcílio, Marilene, Maurício, Marluce, Mariluce e Manoel. O quarto filho da união, Marcílio, faleceu aos dez meses de vida.
       Em meados de 1963, ao sair da sociedade na Padaria Vitória, recebeu um convite para entrar em uma indústria de calçados, convite negado, pois já reconhecia sua grande habilidade com panificação. Então, aos 23 de fevereiro de 1964, após vinte e dois anos de muito trabalho, iniciou seu próprio negócio, a Padaria Aurora, a mais antiga padaria em funcionamento em Timbaúba, hoje com cinquenta e três anos de atividade.


       Membro atuante em diversas entidades de diversos setores, como o Rotary Club, Banda 1º de Novembro, CDL e Timbaúba Tênis Club, entre outros, nunca teve nenhum envolvimento político, mas sempre foi solidário com o próximo e sempre colaborou com diversas causas sociais. Jeito sério e de poucas palavras, às vezes espantava as pessoas, mas quando o conheciam encontravam um contador de histórias, um comediante e um grande sábio. Gostava de passear ao som de Nelson Gonçalves e contar histórias dos locais visitados. Era fã discreto do Sport Club do Recife. Em seu cardápio nunca poderia faltar comidas de milho e frutos do mar. Amante dos antigos carnavais de Timbaúba. Nos momentos de descanso adorava um bom filme de Mazzaropi, o que lhe provocava boas gargalhadas.
         Católico, devoto de Nossa Senhora de Fátima, sempre colocava em suas orações um pedido: “Que eu, em minha velhice, nunca venha a dar trabalho às pessoas”. Homem íntegro, honrado e honesto, ainda estava trabalhando quando, em 19 de agosto de 2017, ao sair para buscar mercadorias para a padaria, Deus o chamou, deixando esposa, oito filhos, vinte e três netos, vinte e dois bisnetos, muita sabedoria e muitos ensinamentos. Os seus oitenta e sete  anos de vida nunca serão esquecidos por sua família, pelas centenas de pessoas a quem ajudou e por toda comunidade timbaubense.


*****

----------
Texto com base nas informações da família.
Esta matéria foi publicada na revista TIMBAÚBA EM FOCO, edição 77, setembro/2017, à venda na Banca de Revistas do centro da cidade.

----------

SESSÃO NOSTALGIA - Misses e amigas para sempre

Daslan Melo Lima

          Foi no dia 23 de setembro, exatamente no início da primavera, que encontrei a inspiração para esta Sessão Nostalgia. Na sua página no Facebook, Conceição Bezerra Alencar, Miss Piauí 1985, fez um elogio dirigido a Carla Godinho, Miss Rio de Janeiro 1985, sua companheira de quarto no concurso Miss Brasil 1985.

----------


Conceição Bezerra Alencar, acima, quando do encontro das misses de 1985, há dois anos. Abaixo, na noite da sua eleição como Miss Piaui. 

----------
Carla Godinho, Miss Rio de Janeiro, é um marco na minha vida. 
Cheguei ao Miss Brasil 1985 super empolgada, com a possibilidade de trazer uma classificação para o Piauí. Era muito novinha, mas me deparei com um mar de bullying inimaginável.
Ela me apoiou em tudo, ensinou-me truques de beleza, de passarela e até me emprestou looks (dividimos o quarto durante o concurso).  
Uma lady rara, bela, educada, amiga, chic, descolada. Transita entre Paris/Milão/São Paulo/ou em uma vila de pescadores com a mesma simpatia e simplicidade.
Uma diva em postura e elegância. Uma fada que jogou pó de pirlimpimpim na minha necessidade.
Felizes dos que, como eu, têm o privilégio da sua amizade. 
Nenhum adjetivo será capaz de retratar os meus sentimentos e admiração.
Você me emociona!
- Conceição Bezerra Alencar. Facebook, 23/09/2017
 ----------
Carla GodinhoAcima, em foto recente. Abaixo, quando reinava como Miss Rio de Janeiro, quarta colocada no Miss Brasil 1985. 
----------
----------
Ontem e hoje, Carla Godinho Conceição Bezerra Alencar 

--------

Terezinha Granja, Miss Alagoas 1964,  
Laura Maria Ribeiro Aranha, Miss Acre 1964

        A amizade de Conceição Bezerra Alencar e Carla Godinho levam minhas lembranças ao meu tempo de garoto em São José da Laje, a cidadezinha alagoana onde nasci, início desta paixão pelo mundo Miss. 
       Quando Terezinha Granja, Miss Alagoas 1964, voltou para Maceió, após ter participado do Miss Brasil, ela declarou aos jornalistas que tinha valido a pena ter disputado o título máximo da beleza brasileira. E citava entre as coisas mais importantes que tinha lhe acontecido a amizade com Laura Maria Ribeiro Aranha, Miss Acre. A Manchete, que circulou com a reportagem sobre o certame (18/07/1964, ano 12, nº 639), postou fotos de ambas, que guardo com carinho lado a lado, num velho álbum de recortes.

Terezinha Granja, Miss Rio Largo, Miss Alagoas 1964
----------
Laura Maria Ribeiro Aranha, Miss Acre 1964

---------

Maria Olívia, Miss Brasil 1962, 
e
Maria José Defolloy, Miss Portugal 1962 

          Anos depois, li também em Manchete uma matéria onde Maria Olívia Rebouças Cavalcanti, Miss Bahia, Miss Brasil e quinto lugar no Miss Universo 1962, falava sobre sua experiência em Miami Beach: Ninguém tem tempo nem oportunidade para conversar com ninguém. Isso, naturalmente, deve-se ao fato de saberem eles que estão lidando com moças de família, inexperientes e vindas de países distantes. Mas fiz uma grande amizade com Miss Portugal, pois dormíamos no mesmo quarto de hotel. Outro dia, ela mandou-me um cartão postal dizendo que vai casar.” (Manchete, 23/04/1966, ano 13, nº 731) 
----------
Maria Olivia Rebouças Cavalcanti, Miss Brasil 1962
------
Maria José Santos Trindade Defolloy, Miss Portugal 1962 

----------

          Ao concluir esta crônica, deixo aqui um pensamento célebre e uma canção popular também famosa. Vamos refletir e cantar, em nome das misses e amigas para sempre.

"A amizade é o conforto indescritível de nos sentirmos seguros com uma pessoa, sem ser preciso pesar o que se pensa, nem medir o que se diz." 
George Eliot, pseudônimo de Mary Ann Evans (1819-1880), romancista britânica.
----------
 "Amigos para Sempre" (Friends for Life), composta para as Olimpíadas de Barcelona (1992). Melodia de Andrew Lloyd Webber e letra de Don Black, versão brasileira  de Carlos Cezar e Sonia Mara.
           
Eu não tenho nada pra dizer
Você parece no momento até saber
O quanto eu estou sofrendo
Vem, veja através dos olhos meus
A emoção que sinto em estar aqui
Sentir o seu coração me amando

Amigos para sempre é o que nós iremos ser
Na primavera ou em qualquer das estações
Nas horas tristes, nos momentos de prazer
Amigos para sempre

Você pode estar longe, muito longe, sim
Mas por te amar sinto você perto de mim
E o meu coração contente
Não nos perderemos, não te esquecerei
Você é minha vida, tudo que sonhei
E quis para mim um dia

Amigos para sempre é o que nós iremos ser
Na primavera ou em qualquer das estações
Nas horas tristes, nos momentos de prazer
Amigos para sempre

                                                         
*****  
_________    
Agnaldo Rayol e Ana Vitória cantam "Amigos para Sempre", acompanhados pela Orquestra de Câmara e Coro Cesumar
                          

*****

Aqui termina mais uma edição de PASSARELA CULTURAL. Rolando abaixo, você vai encontrar uma seleção de todas as postagens do blog.
----------
“Gosto que me leiam e saibam o que acho das coisas. É uma forma de existir. Trabalho é a melhor maneira de escapar da realidade. “
Paulo Francis  (1930-1997) pseudônimo de Franz Paulo Trannin da Matta Heilborn,  jornalista carioca, escritor, articulista e crítico de teatro, literatura e arte.
----------

         A trajetória de PASSARELA CULTURAL começou em 02/07/2004, com o nome de Timbaconexão, como coluna sociocultural do extinto site de entretenimento Timbafest,  editado por Walfredo Silva (Wal Boy). Em 12/10/2007, Timbaconexão migrou para blog com o nome de PASSARELA CULTURAL. Detalhe: a contagem de visitas a este site só teve início em outubro de 2007. 
        PASSARELA CULTURAL também tem uma visibilidade impressa através das colunas socioculturais que assino em dois veículos de comunicação da região: jornal CORREIO DE NOTÍCIAS e revista TIMBAÚBA EM FOCO.
     Duas secções do blog são responsáveis por sua popularidade:  DE TIMBAÚBA PARA O MUNDO , sobre a cena sociocultural timbaubense, e SESSÃO NOSTALGIA, focalizando os antigos concursos de Misses, uma das minhas paixões.
       Grato a todos pela atenção. - Daslan Melo Lima

***** 

sábado, 7 de outubro de 2017

"Existem duas maneiras de nos refugiarmos das misérias da vida: música e gatos."

      


              Paro um pouco de ouvir músicas de Vivaldi pelo YouTube para ir a um banheiro da minha casa. Encontro "Neymar Jr", um dos meus quatro gatos, deitado sobre o vaso sanitário. Imagino que queira me dizer que é ali, e não num recanto do quintal, que deve fazer suas necessidades. 
         "Existem duas maneiras de nos refugiarmos das misérias da vida: música e gatos", dizia um sábio chamado Albert Schweizer(1875-1965), teólogo, músico, filósofo e médico alemão, nascido na Alsácia, então parte do Império Alemão.
----------
. - Daslan Melo Lima

*****

MEMÓRIAS DE SÃO JOSÉ DA LAJE - Lucinha, a "rosa palmeiron" do meu tempo de criança

      

        Tânia Lúcia de Oliveira, a Lucinha, minha vizinha na rua do Rosário, foi uma das protagonistas de uma noite de arte realizada no Clube Gente Nossa cantando: 


Sou a rosa palmeiron , oh, senhores, 
 Deus me quis fazer bela assim. 
 Há milhares de rosas e flores, 
mas eu sou a maior do jardim.  

E um coral respondia: 


Oh, que prazer, que alegria, sentem as flores neste belo dia! 
Oh, que prazer, que alegria, sentem as flores neste belo dia!

Em seguida, outra garota chegava e cantava: 


Meus senhores, eu sou a saudade, 
mas não é essa que vos faz chorar, 
sou apenas uma flor sem maldade 
que só quer o vosso bem estar.

E o coral: 

Oh, que prazer, que alegria, sentem as flores neste belo dia! 
Oh, que prazer, que alegria, sentem as flores neste belo dia!

          A foto de uma atriz de fotonovela, colada num álbum do meu tempo de criança em São José da Laje, Alagoas, lembra minha amiga e faz ecoar forte o canto melancólico de outra garota: 


Meus senhores, eu sou a saudade, 
mas não é essa que vos faz chorar, 
sou apenas uma flor sem maldade
que só quer o vosso bem estar.

----------
Acima, a Lucinha de ontem, no tempo da "rosa palmeiron". Abaixo, a Lucinha de hoje, senhora Tânia Gonçalves.

----------

          Reencontrei Lucinha há poucos meses, no Facebook, feliz, casada, mãe e avó, residente em Luziânia, Goiás. Mais do que isso, mais, muito mais, reencontrei a “rosa palmeiron” do meu tempo de criança.
----------

Daslan Melo Lima - Memórias de São José da Laje, a cidadezinha alagoana onde nasci.

*****

DE TIMBAÚBA PARA O MUNDO - Ana Eufrásia, a admirável mulher do capitão Zeferino

>>>>> A mãe de Isnar Cabral de Moura soube mais que ninguém exercer o sacerdócio do magistério.
        


          Ana Eufrásia Cabral de Moura, filha de José Gercino Bezerra Cabral e Joaquina Francelina Cabral, nasceu no dia 28 de outubro de 1873, no lugarejo de Mata Virgem, hoje pertencente ao município de Surubim. Aos oito anos de idade já começava a precoce professora sua trajetória pedagógica em Umbuzeiro, Paraíba, para onde havia se mudado com a família seis anos antes.
           Em 1892, foi nomeada professora estadual para a então povoação de Barra de Natuba, mas em novembro do mesmo ano retornou a Umbuzeiro e lá permaneceu até 1893, quando foi nomeada professora municipal de São Vicente, hoje São Vicente Férrer, PE, onde inclusive casou e lecionou até 1907, quando foi removida para Timbaúba. Aqui chegou no dia 16 de junho, para lecionar na escola municipal localizada na rua Marechal Dantas Barreto, nº 138. Com a inauguração do Grupo Escolar Municipal D. Pedro II, foi para lá transferida até aposentar-se, já como diretora, isto em 1933.
          Professora leiga, mas autodidata, soube mais que ninguém exercer o sacerdócio do magistério. Sua luta, dedicação e competência foi reconhecida ainda em vida por todos. Até mesmo as mestras formadas nas escolas normais de então, quedavam-se ante a sapiência da matuta de Mata Virgem.    
      Numa justa homenagem àquela que dedicou sua vida a ensinar, particularmente aos timbaubenses pobres, pois cada aluno seu era como um verdadeiro filho, Timbaúba e o Estado de Pernambuco denominaram de Grupo Escolar Professora Ana Eufrásia uma escola localizada na avenida Dr. Ferreira Lima. A professora Ana Eufrásia faleceu no Recife, no dia 03 de abril de 1960. Sua filha Isnar Cabral de Moura (1909-2014), timbaubense, primeira jornalista pernambucana, escreveu dois livros sobre Ana Eufrásia: “A Admirável Mulher do Capitão Zeferino” (1º volume, Gráfica Editora Norte Brasileiro, 1973) e “Dona Eufrásia, Viuvez e Exílio” (2º volume, edição da Biblioteca Ana Eufrásia – 1974).
------

Fontes de pesquisa: Timbaúba, Ontem e Hoje, volume II, Edições A Província, Timbaúba, PE, 1996), Diario de Pernambuco e Jornal do Commercio.

----------

FESTA DAS CRIANÇAS




A Sociedade de Cultura e Musical 1º. de Novembro tem a satisfação de convidar pais e crianças de nossa cidade para assistirem, na próxima quinta-feira, dia 12 de outubro de 2017, às 16:30 horas, na Praça José Lins do Rego, em Timbaubinha, nesta cidade de Timbaúba, ao “Concerto do Dia das Crianças”, dando prosseguimento às comemorações dos 95 anos de existência desta Sociedade Musical, a completar-se em 01/11/2017, a ser realizado por nossa Banda de Música Juvenil, composta por 25 músicos com idade dos 08 aos 18 anos, sob a regência do maestro Jorge Luiz Gomes (Jorjão), que estará brindando os presentes com o melhor da música instrumental.

Contamos com a participação de todos.

Cordialmente.

Sociedade de Cultura e Musical 1º. de Novembro

OTÁVIO LUIZ DA SILVA NETO
Presidente do Conselho de Administração

----------

SESSÃO NOSTALGIA - Mariluce Facci, Maria Helena Leal Lopes e Sandra Guimarães, três misses e as crianças que um dia foram

Daslan Melo Lima


          Na próxima quinta-feira, 12, estaremos celebrando o Dia das Crianças, embora todo dia seja dia das crianças, dos pais, das mães, do poeta, disso e daquilo. As três Misses focalizadas aqui não perderam de vista as crianças que um dia foram. Adoro pessoas assim. 

----------

Mariluce Facci
Miss Catanduva, Miss São Paulo, semifinalista (Top 8) no Miss Brasil 1968

----------
----------

Maria Helena Leal Lopes
Miss Telefônica, Vice-Miss Guanabara 1970

----------
----------

          
----------


Sandra Guimarães
Miss Ribeirão Preto, Miss São Paulo, Miss Brasil 1974

----------
---------

----------
        Feliz Dia das Crianças todos os dias, Mariluce Facci, Maria Helena Leal Lopes  e Sandra Guimarães. Feliz Dia das Crianças todos os dias para vocês, leitores, leitoras, que não perderam de vista as crianças que um dia foram. Adoro pessoas assim.

*****

Créditos das imagens: 
Mariluce Facci: Acervo de Genaro Oliveira Pires e Facebook
Maria Helena Leal Lopes: O Cruzeiro, Arquivo Pessoal e Arquivo do blog
Sandra Guimarães: O Cruzeiro, Acervo de Genaro Oliveira Pires e Facebook

sábado, 30 de setembro de 2017

É outubro outra vez

     


          Setembro se foi num abrir e piscar de olhos. O vento sabe que adoro o mês de setembro e poderia ter colaborado para que o nono mês do ano pudesse ter se estendido por mais tempo. Diante do décimo mês que está começando, vou me sentar ao lado do silêncio para entoar a canção que há anos compus e a outubro dediquei, “Minha Canção de Outubro.”

Seja bem-vindo, meu amado mês de outubro.
Pode contar meus desamores e desilusões.
Com o silêncio e o vento, aprendi a te amar,
mesmo com a ausência de amores e ilusões.

Seja bem-vindo, meu amado mês de outubro.
Contigo mais uma vez vou cumprindo uma jornada,
atravessando tempestades e bonanças,
até amadurecer com as lições da caminhada.

Seja bem-vindo, meu amado mês de outubro.
Há fé em minhas mãos de esperança.
Ajude-me a espalhar sabedoria,
até que o trem da Grande Viagem aterrisse em segurança.

Seja bem-vindo, meu amado mês de outubro.
Por um mundo melhor, busco unir razão e coração.
E sorrindo, com a parceria dos anjos invisíveis,
vou cantando esta canção.
------

Daslan Melo Lima

*****

MEMÓRIAS DE SÃO JOSÉ DA LAJE - Madureira chorou. Eu chorei

       

       No Carnaval de 1958, a música mais tocada foi “Madureira Chorou”, de Carvalhinho e Julio Monteiro, gravada por Joel de Almeida. O samba teve como inspiração o drama da vedete Zaquia Jorge, dona do Teatro Madureira, no Rio de Janeiro, que morreu aos 32 anos de idade, afogada no mar da Barra da Tijuca, no dia 22 de abril de 1957.


Madureira chorou
Madureira chorou de dor
Quando a voz do destino
Obedecendo ao Divino
A sua estrela chamou

Gente modesta
Gente boa do subúrbio
Que só comete distúrbio
Se alguém lhe menosprezar

Aquela gente
Que mora na Zona Norte
Até hoje chora a morte
Da estrela do lugar


         Zinho, o mestre-sala da Escola de Samba Lajense, também morreu cedo, como a musa do samba, "quando a voz do divino, obedecendo ao destino, a sua estrela chamou". Eu era um garoto introvertido, estava no meio da multidão, e não sabia que um dia, ao recordar aquele tempo mágico na minha alagoana São José da Laje, meu coração ficaria inundado de saudade, lágrimas, poesia e nostalgia.  
---------
- Daslan Melo Lima - Memórias de São José da Laje, a cidadezinha alagoana onde nasci.

*****
----------
"Madureira Chorou",  

DE TIMBAÚBA PARA O MUNDO - A ExpoHQ 2017 na 11ª Primavera dos Museus

>>>>> A repercussão do evento tem sido fantástica



No último domingo de setembro, o Museu de Timbaúba, instituição administrada pela Funjader, Fundação Jáder de Andrade, foi palco da ExpoHQ 2017, dentro da programação nacional da 11ª Primavera dos Museus

----------

Uma comissão jugadadora composta por seis experts  no assunto (Pedro Castle, Paulo Thor, Antognnyoni, Bruno WayneEdson Hulk, Pedro Castle e Evinho Capitão)  elegeu as três mais belas cosplay.
Houve um empate e os membros do juri se reuniram para promover o desempate.
----------
O top 3 do concurso. Da esquerda para a direita: Marlene Maria Soares ("Storny"), segundo lugar; Manoel Alves Soares Filho ("Darty"), primeiro; e Emanuelle Kaline ("Mia Marvel"), terceiro lugar. 
----------

Um batalhão de fotógrafos se posicionou na frente do Top 3 para documentar o instante.
----------
Os vencedores, a comissão julgadora e Djalma Almeida, de blusa vermelha, coordenador geral do evento. A ExpoHQ 2017 contou com o apoio cultural das seguintes empresas: Box Informática, Comercial Menezes, Farmalar, Luiza Magazine, e Tonhão Motos.  

----------

Darty, eu e Storny. 
 ----------

 Djalma Almeida ladeado por Darty e Storny.

*****