a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 632, referente ao período de 13 a 19 de agosto de 2017. ***** Editor: Daslan Melo Lima ***** Timbaúba, Pernambuco, Brasil ***** Telefone: (81) 9.9612-0904 (Tim). ***** WhatsApp: +55 81 9.9612.0904 ***** E-mail: daslan@terra.com.br

sábado, 28 de abril de 2012

DE TIMBAÚBA PARA O MUNDO

CONCURSO MISTER E MISS EREMT 2012
.....
      A tarde da sexta-feira 27 de abril, pertenceu à juventude timbaubense. Centenas de jovens se dirigiram para a quadra da EREMT, Escola de Referência em Ensino Médio de Timbaúba, palco mais uma vez da quinta edição do concurso Mister e Miss Eremt. O cinema foi a fonte de inspiração para o tema da decoração do imenso espaço onde funcionou o Sesi. A organização esteve sob a responsabilidade dos concluintes da escola sob a supervisão geral dos gestores do educandário.  Os concorrentes aos títulos de Mister e Miss desfilaram em roupas que evocavam personagens populares do cinema e trajes esportivas.

 Parte da equipe dos educadores da EREMT.
.....
  Plateia atenta a todos os detalhes.
 .....
Os apresentadores do evento personificaram Marilin Monroe e Charles Chaplin, o Carlitos.
Durante os intervalos, dois grupos de dança se apresentaram,  a Companhia de Arte Cacareco, acima,  e o Slaves to the Music, abaixo, ambos aplaudidíssimos.
.....

      A comissão julgadora que teve a responsabilidade de eleger os soberanos da beleza da Eremt foi formada pelas seguintes personalidades, da esquerda para a direita, Prof. Nino, Professora Ana Geni, Fátima Cavalcanti (Fátima Alugueis de Roupas), Cláudia Oliveira (Miss Timbaúba 2000), Raniere Martins (Loja Etiqueta), Gilberto Correia (Loja Elegance), Edmara Barbosa (Noivas & Festas) e Daniel Oliveira (editor da revista Timbaúba em Foco).
  .....
     Os candidatos ao título de Mister Eremt 2012 foram: Anselmo José Ferreira Júnior, Christian Marinho Xavier, Danilo Targino, Edney Kayk da Silva Bandeira, Gilderson Alexandre da Silva, Jhonathan Marinho da Silva, José Luciano Bezerra Matias Junior, Kalécio Fernando Xavier Pereira Santana, Luiz Eduardo Gomes da Cruz, Luiz Fernando Borges e   Severino Bernardino dos Ramos Neto.
Da esquerda para a direita: Kalécio Fernando, segundo lugar; Christian Marinho, primeiro; e Luiz Fernando Borges, terceiro lugar.
.....
O momento de maior suspense e emoção da festa. Kerolainy Norrainy e Darla Dayana de mãos dadas aguardando o anúncio do resultado. 

     As candidatas ao título de Miss Eremt 2012 foram:  Darla Dayane Ferreira de Melo, Dayara de Souza Andrade Cabral, Fernanda Apolinário de Albuquerque, Kerolainy Norrainy da Silva Lopes, Marcília de Lima Freitas, Mickaella Costa Ferreira, Paloma Duarte da Silva e Thaynã Rostania Alves da Silva.
Da esquerda para a direita: Kerolainy Norrainy, segundo lugar; Dayara de Souza e Thaynã Rostania, empatadas em terceiro lugar; e Darla Dayane,  primeiro lugar.
.....
Darla Dayane e Christian Marinho, os novos soberanos da EREMT.

 ***** 
.....
MEMÓRIA TIMBAUBENSE
Assim ficou a Ponte de Mocós no ano de 1974, devido aos estragos provocados pela inundação do Rio Capibaribe-Mirim. 
.....
*****
.....
ROTEIRO POÉTICO DE TIMBAÚBA
Os paineis da Praça de Timbaubinha evocam casarios, bois de carnaval e o cultivo da cana de açúcar.Três renomados artistas plásticos timbaubenses criaram com as mãos e o coração três referencias singulares da Princesa Serrana: Casario (Teotônio Monteiro), Bois (João Neto) e Cultivo da Cana (Nem).
As obras de arte estão carentes de uma restauração urgente, mas fui informado por um assessor do governo municipal que falta pouco tempo para o início da execução desse trabalho.
 *****

SESSÃO NOSTALGIA - CONCURSO MISS PERNAMBUCO 1962

Daslan Melo Lima
 
PRÓLOGO


     Na manhã deste último sábado de 2012, ao ler no prestigiado blog do jornalista pernambucano Fernando Machado, www.fernandomachado.blog.br , o que ele escreveu sobre a eleição da Miss Pernambuco 1962, vi que ali estava a fonte principal para a Sessão Nostalgia desta semana. Tenho um interesse sentimental muito especial por todas as Misses do ano de 1962 , época em que, quase ainda um menino, despertei para o assunto ao ver a minha  Tia Soledade lendo a revista O Cruzeiro sobre a eleição da Miss Brasil 1962, a baiana Maria Olívia Rebouças Cavalcanti, minha Miss inesquecível. 
    

 MISS PERNAMBUCO 1962


     No dia 28/04/1962, nos salões do Clube Internacional do Recife, seis jovens disputaram o título de Miss Pernambuco 1962: Terezinha de Castro Frazão (Miss Clube Português do Recife), Eutália Figueiredo (Miss Clube Líbano), Vera Lucia Bezerra (Miss Clube Náutico Capibaribe), Lucilde Carlos Mendonça (Miss Clube Internacional do Recife); Marly dos Santos Alexandre (Miss Atlético Clube de Amadores) e Francy França (Miss Monte Real). Amélia Reis (Miss América Futebol Clube)  e Eneida Costa tinham se inscrito mas desistiram de participar do concurso. O primeiro lugar foi para Terezinha Frazão, o segundo para Eutália Figueiredo e o terceiro para Vera Lucia Bezerra.

Da esquerda para a direita, Lucilde Carlos Mendonça, Miss Clube Internacional do Recife;  Eutália Figueiredo, Miss Clube Líbano, Marly dos Santos Alexandre, Miss Atlético Clube de Amadores; Terezinha Frazão, Miss Clube Português do Recife; Vera Lúcia Bezerra, Miss Clube Náutico Capíbaribe; Eneida Costa (que desistiu de participar do certame) e  Francy França, Miss Monte Real. 
 .....
Da esquerda para a direita: Eutalia Figueiredo, Miss Clube Líbano, segunda colocada no Miss PE 1962; Maria Lúcia Santa Cruz, Miss Pernambuco 1961; Terezinha Frazão, eleita Miss Pernambuco 1962;  Francy França, Miss Monte Real, e Vera Lúcia Bezerra, Miss Clube Náutico Capibaribe, terceira colocada.
Maria Lúcia Santa Cruz, Miss Pernambuco 1961, sétima colocada no Miss Brasil 1961, e Terezinha Frazão, Miss Pernambuco 1962.
       Os apresentadores do evento foram Hilton Gomes e Heloisa Helena. A comissão julgadora foi formada por Iolanda Costa e Silva (esposa do general Arthur da Costa e Silva que depois se tornaria primeira dama do Brasil), Lotinha Pessoa de Queiroz, Roberto Pessoa, Nelson Dias, Jordão Emerenciano, Álvaro Ferraz, os cônsules Eugene Areas (Estados Unidos) e Yoshito Saito (Japão). O estilista Marcilio Campos vestiu Terezinha Frazão, Eutália Figueiredo (Miss Clube Líbano) e Francy França (Miss Monte Real). Victor Moreira grifou os modelos de Lucilde Carlos Mendonça (Miss Clube Internacional do Recife)  e Vera Lucia Bezerra (Miss Clube Náutico Capibaribe).  
     Detalhes:  A Miss Brasil 1955, Emilia Corrêa Lima, ao lado do esposo , o Coronel do Exército  Wilson Santa Cruz Caldas, foi  presença de destaque na noite da beleza pernambucana, assim como a Miss Paraíba 1962, Eneida Vieira. Terezinha Frazão não conseguiu classificação entre as finalistas do Miss Brasil 1962. Vera Lúcia Bezerra, Miss Clube Náutico Capibaribe, terceira colocada, voltou a disputar o título no ano seguinte e foi  eleita Miss Pernambuco 1963. 

Lucilde Carlos Mendonça, Miss Clube Internacional do Recife - Foto: Diario de Pernambuco
      Lucilde Carlos Mendonça, Miss Clube Internacional do Recife, suicidou-se com um tiro no dia 29/02/1968, na frente do altar da Igreja de Nossa Senhora da Piedade, em Jaboatão dos Guararapes-PE, tragédia atribuída ao fim do seu noivado.
.....

EPÍLOGO


     Agradeço ao Fernando Machado por sua atenção para comigo ao nos comunicarmos hoje por e-mail. Eu nem sabia que Terezinha Frazão tinha nascido no mesmo Estado que eu, Alagoas. Fiquei sabendo através da matéria do blog do Fernando. 
      Nas minhas férias escolares do final do ano de 1962, viajei de São José da Laje-AL para o Recife, de trem. Um tio me esperava na estação central e a primeira pergunta que lhe fiz foi esta: “Onde será que mora Terezinha Frazão, a Miss Pernambuco?” Meu tio olhou-me de forma estranha, sem entender o porquê da minha paixão por Misses. Eu também não entendia, mas há muito tempo deixei de perder tempo buscando entender os mistérios da vida, da morte e das paixões. Paixões são paixões, não se explicam, são simplesmente paixões, paixões e nada mais.

*****

sábado, 21 de abril de 2012

DE TIMBAÚBA PARA O MUNDO - Luismar Melo, um orgulho timbaubense


LUISMAR MELO, UM ORGULHO TIMBAUBENSE

 Daslan Melo Lima

Luismar Melo (25/08/1944 - 20/04/2012) -  Foto:jornalcana.com.br

      Eu tive pouco contato com o Dr. Luismar Melo, porém o suficiente para captar a grandeza do seu caráter. Lembro-me dele tratando de negócios na Agência do BNB, Banco do Nordeste do Brasil. Eu trabalhava no setor operacional e ficava impressionado com a sua simplicidade. Em algumas ocasiões, deparei-me com ele  no Timbaúba Tênis Club e sua presença irradiava classe, educação, energia positiva. Aqui, rendo o meu tributo a um timbaubense cujo nome a história vai guardar.
 
       O industrial timbaubense Luismar Melo morreu no dia 20/04/2012, no Hospital Santa Joana, no Recife, PE, devido a complicações de saúde decorrentes de câncer no pâncreas. Filho de José Bolivar e Otília Maria de Araújo, nasceu em Timbaúba, PE, no dia 25/08/1944. 
       Após concluir o curso de Engenharia Civil na UFPE, Universidade Federal de Pernambuco, e trabalhar no DER, Departamento de Estradas e Rodagem, comprou o Engenho Cangaú, em Aliança, PE,  com dinheiro emprestado pelo pai, dando início a uma trajetória que fez dele um dos maiores fornecedores de cana de Pernambuco. No início do Proálcool, foi para a Paraíba para começar a plantar cana como fornecedor. 
      Em 1989, em sociedade com Paulo Fernando Cavalcanti de Moraes e José Ivanildo Cavalcanti de Moraes, adquiriu a Usina Japungu. Na safra de 1991/1992, um total de 260.000 toneladas de cana foi produzido nos engenhos Cangaú, Poço Mazagão II, Carnaúba, Miriri, Babilônia, Nossa Senhora da Guia, Bela Vista, Santa Emília e Rio Claro. 
      Em 1996, ele e os seus sócios fundaram a Agroval, arrendando o parque industrial da antiga Usina Santana. Em 2001, partiram para a região de Goiás, adquirindo a CRV, e em 2003, a Cooper-Rubi. 

Dr. Luismar Melo, (Foto extraída do livro “Timbaúba Ontem e Hoje”, Volume II, de Lusivan Suna, Edições A Província, Timbaúba, PE, 1996.

LUISMAR, UM MAR DE FLORES PARA UM HOMEM QUE TINHA O MAR NO NOME

      O corpo do Dr. Luismar Melo foi velado em sua residência, na Rua Dr. Alcebíades, centro, Timbaúba, de onde saiu às 16 horas, para sepultamento no Cemitério de Santa Cruz, acompanhado por centenas de pessoas. Sua esposa D. Milinha e os filhos Bolivar Neto, Luciana, Milene e Bruna acompanharam o cortejo até o último minuto, quando os aplausos dos presentes ecoaram no final da tarde que morria. 
     Durante o trajeto do centro da cidade para o cemitério, ouvi uma senhora com lágrimas nos olhos tecendo o seguinte comentário: “Ele era o homem mais generoso que conheci na minha vida, uma espécie de pai para todos os seus funcionários”.

       
      Todo o espaço do jazigo da família foi tomado por centenas de grinaldas, uma cena jamais vista em Timbaúba, algo em torno de 500 grinaldas. Um mar de flores para um homem que tinha o mar no nome. Detalhe: no  ataúde ele estava de terno azul, sapatos pretos e nenhuma flor como decoração, a não ser um ramo de orquídeas. 


     O relógio marcava mais de 18 horas e as pessoas já tinham saído do cemitério, porém um caminhão de flores ainda estava sendo descarregado. Vários homens retiravam as grinaldas para deixá-las na última morada terrena de Luismar Melo

                   JUNTO A TI, BUSCAREI OUTRO MAR


      A Missa de sétimo dia em Timbaúba foi realizada na Capela da Escola Santa Maria, que se tornou pequena para a quantidade de pessoas que foram levar as condolências aos familiares. O livreto da cerimônia, simples e discreto, com capa prateada, não trazia imagens do Dr. Luismar Melo, apenas o roteiro da celebração eucarística e um pequeno encarte com mensagens da viúva, filhos e netos. A Barca, do Padre Zezinho, foi o canto de entrada.

Tu te abeiraste na praia / Não buscaste nem sábios, nem ricos / Somente queres que eu te siga...
.....
(Coro) Senhor, Tu me olhaste nos olhos / A sorrir, pronunciaste meu nome / Lá na praia, eu larguei o meu barco / Junto a Ti, buscarei outro mar.
.....
Tu sabes bem que em meu barco / Eu não tenho nem ouro nem espadas / Somente redes e o meu trabalho...
.....
Tu minhas mãos solicitas / Meu cansaço, que a outros descansem / Amor que almeja seguir amando...
.....
Tu, pescador de outros lagos / Ânsia eterna de almas que esperam / Bondoso amigo, assim me chamas...

LUISMAR MELO, A SIMPLICIDADE DE UMA PERSONALIDADE

     Luismar Melo era um homem simples, apesar da fortuna que conseguiu acumular durante sua vida laboriosa. 
Comidas preferidas: Cuscuz com leite de coco , macaxeira, inhame, pamonha, queijo de manteiga, galinha de capoeira, feijão verde, feijoada, pirão de carne de boi, sopa de feijão e carne, cuscuz de massa de mandioca... 
Bebidas: Um bom uísque acompanhado de caldinho de feijão e queijo. Sobremesas: Goiabada, queijo de manteiga, doce de caju. 
Músicas: Bossa Nova, Seresta e Marchinhas de Carnaval.  
Visual: Seu cabeleireiro durante muitos anos foi o sempre lembrado Gerson, amigo de longas datas.  
Esporte preferido: Trilhas de jeep e quadriciclo.  
Seu lema: Ajudar sempre, sem olhar a quem. Ele dizia o seguinte: "Mais difícil do que tirar do bolso para dar é a pessoa arrumar coragem para pedir". Hábitos: Só gostava de comer depois que os empregados fizessem suas refeições. Tinha que haver muita comida em seus pratos.

                                                LUISMAR, UMA ESPÉCIE DE PAI

      Entre as diversas premiações recebidas por Dr. Luismar Melo, destaque para o Prêmio MasterCana, em 2007, um reconhecimento por sua  atuação como diretor do Sindálcool, Sindicato da Indústria de Fabricação do Álcool do Estado da Paraíba. 
   Mas agora que DEUS o convocou para uma nova missão em outra dimensão, acredito que não existe melhor homenagem do que os comentários que ouço das pessoas humildes que tiveram o privilégio de trabalhar ao seu lado. Comentários como aquele envolvido em lágrimas que escutei  de uma  senhora que acompanhava o enterro:
 Ele era o homem mais generoso que conheci na minha vida, uma espécie de pai para todos os seus funcionários”.

*****

DE TIMBAÚBA PARA O MUNDO - Daniel Lima (1916-2012), "Viver é estar sempre dando adeus"


Daslan Melo Lima

 Daniel Lima (02/05/1916 - 15/04/2012)
 .....
    O padre e poeta Daniel Lima morreu no dia 14 de abril, no Recife, aos 95 anos de idade, por complicações decorrentes de uma pneumonia. Ele ganhou projeção nacional ao conquistar, em dezembro do ano passado, o prêmio literário da Fundação Biblioteca Nacional na categoria poesia, pela obra "Poemas", editado pela CEPE - Companhia Editora de Pernambuco, seu primeiro livro publicado.
            Nascido em Timbaúba, PE, em 02/05/1916, Daniel dos Santos Lima foi pároco em Nazaré da Mata, PE e depois de se mudar para o Recife lecionou Filosofia em instituições de ensino superior da capital. Ligado a correntes progressitas da Igreja, atuou nas Ligas Camponesas de Francisco Julião. Figura célebre em rodas acadêmicas e literárias pernambucanas, deixou mais de 20 obras inéditas. Escreveu durante toda a vida, mas nunca quis publicar seu trabalhos. "Poesias" só foi editado em 2011 por insistência da escritora e professora universitária Luzilá Ferreira, ex-aluna de Daniel Lima que "roubou" os originais e depois o convenceu a publicá-los.
          Abaixo, alguns dos seus sábios textos místicos-poéticos.   
-----

...Se a vida não se detém em momento algum, então viver é estar sempre dando adeus. 
     A alguém, a alguma coisa; e não só exteriores a nós - amizades, lugares, objetos - mas adeus a nós mesmos, sobretudo. 
          Pois se alguém nos deixa, ainda que só nos tenha encontrado em rápido instante, alguma coisa de nós, de nosso sentimento pessoal do mundo, de nosso ser, se perde quando esse se afasta. 
      Sem que o queira, ou pense, o mais futuroso homem vai, a cada momento, se desmanchando um pouco no que passa.
-----

Eu sou a metáfora de mim.
Por isso, quando eu morrer morrerá meu poema.
Restarão apenas palavras sem sentido,
formas tornadas vãs de um mistério
Cuja chave perdida para sempre
No silêncio de morte
Ninguém encontrará.
-----

Sou o intervalo
            entre a palavra e o gesto.
E amar a vida,
            senti-la e consenti-la
                        é meu protesto.

-----

                                                          Vale a pena ser eu, mesmo perdido.
                                                          Um dia, hei de encontrar-me não sei onde,
                                                          numa esquina talvez ou na soleira
                                                          da casa de um amigo ou num presídio.

                                                          Já muito chão andei, sempre à procura
                                                          do que, não sei; de quem, pior ainda.
                                                          O endereço perdi de toda gente:
                                                          será que vou saindo, ou vou chegando?

                                                          No leste nasce o sol, mas é ao oeste
                                                          que coração e pés me vão levando,
                                                          eu, tão norte que sou, que o sul quem há de?

                                                          Perdido estou, sem referência alguma
                                                          do espaço e tempo, mas confuso embora,
                                                          sei que sou o perdido. E vale a pena.

-----

Antes, vivia na certeza,
como uma águia aprisionada na gaiola.
                        A dúvida me libertou
deixando-me voar no espaço livre,
                        não mais certo de nada
senão da importância do voo.
   

*****

SESSÃO NOSTALGIA – OS TRAJES EVOCATIVOS DA MODA CARIOCA NO CONCURSO MISS GUANABARA 1965


Daslan Melo Lima


      Maracanãzinho, Rio de Janeiro, junho de 1965. A tradicional passarela em forma de ferradura do famoso ginásio de esportes tinha sido substituída por outra que reproduzia o símbolo do IV Centenário da fundação do Rio de Janeiro. Antes dos desfiles de traje de gala e maiô, as 30 candidatas ao título de Miss Guanabara 1965 desfilaram em trajes evocativos da moda carioca. 

Vinte e cinco mil pessoas aplaudiram as misses que desfilaram numa feérica passarela reproduzindo o símbolo do IV Centenário. (Revista Manchete, 03/07/1965)


Por causa das comemorações do IV Centenário, o concurso do Maracanãzinho apresentou uma novidade este ano: o desfile das candidatas em trajes de época. Trinta luxosíssimos vestidos, reconstituindo eras de esplendor e beleza da História,  cruzaram a passarela. Havia de tudo: o traje Império da vencedora, o autêntico iaiá boneca da segunda colocada, Sônia Regine Schuller, e outros. (Revista Fatos & Fotos  03/07/1965). 

A história do Rio de Janeiro foi contada através da evolução da moda, em vestidos desenhados pelos costureiros Evandro Castro Lima e Carlos Gil. (Manchete, 03/07/1965) 


Abaixo, os  trajes publicados na revista Fatos & Fotos, de 03/07/1965, uma visão histórica e inesquecível da fase de ouro dos concursos de beleza no Brasil.  
 .....


Maria Raquel Helena de Andrade, Miss Botafogo, eleita Miss Guanabara 1965, desfilou com traje Império, de 1805, confeccionado em gaze musseline lilás, capa em cetim.
 .....

Sônia Regine Schuller, Miss Caça e Pesca, segunda colocada, modelo de 1780, Iaiá Boneca, de organza e tafetá.
..... 

Maria de Fátima, Miss Círculo dos Oficiais da PM. Vestido de 1909, com cintura marcada.
..... 

Vera Lúcia, Miss Sumaré CC, traje de 1829, de influência espanhola e decote em V, bordado com rosas brancas.
..... 

Margareth Bulcão, Miss Bangu, vestido no estilo de “...E O Vento Levou.”
 .....
Sheila Chaves, Miss Fluminense, traje de 1820, marca a tendência da cintura baixa.
 .....

      Faz 47 anos que tudo isso aconteceu. As Misses continuam desfilando em seus trajes de época nas revistas que guardo com tanto carinho. Parece até que foi ontem.  Vou guardar minhas revistas e imaginar que faz apenas 47 dias. Quero esquecer que envelheço,  enquanto aquelas jovens lindas do IV Centenário do Rio de Janeiro  permanecem jovens nas revistas daquele 1965.

*****

sábado, 14 de abril de 2012

DE TIMBAÚBA PARA O MUNDO

 UM MASCOTE PARA O TIMBAÚBA FUTEBOL CLUBE

Uma das figuras abaixo, o Boi, o Mocó ou o Morcego, poderá ser escolhida para mascote do Timbaúba Futebol Clube.  Cada uma tem o seu significado cultural para o municípío. Esta campanha foi idealizada pelo publicitário Jorge Moura, criador das imagens, e conta com o apoio de PASSARELA CULTURAL.

BOI - É grande o número do folguedo denominado Boi de Carnaval, tanto que, oficialmente, Timbaúba é a terra do boi de carnaval.

.....
MOCÓ - Esse roedor é abundante nos canaviais da mata norte pernambucana. Existe o bairro timbaubense de Mocós e as gerações antigas costumavam chamar a  cidade de Timbaúba dos Mocós.
 .....
MORCEGO - Morcego é a denominação de um dos mais tradicionais blocos de carnaval da cidade e o seu hino é um dos frevos mais famosos da região.
 
*****
.....
 MEMÓRIA TIMBAUBENSE
Ginásio Timbaubense, 1954, primeira turma do curso ginasial. De terno e gravata, um ícone da educação em Timbaúba, Prof. José Mendes da Silva.  
*****
.....
ROTEIRO POÉTICO DE TIMBAÚBA

Dia e noite, noite e dia, o Rio Capibaribe-Mirim mansamente corre para o mar. Enquanto isso, as "baronesas" desfilam tranquilas pelas suas águas, antes que algum inverno diga ao vento que o rio é um mar.   
*****
.....


ANNIELE ALBUQUERQUE, MENINA FANTÁSTICA
Anniele Albuquerque, 18 anos, 1 metro e 80 de altura, já perdeu a conta das propostas que recebeu para ser modelo. Recusou todas. Focada nos estudos, concluiu o Ensino Médio na EREMT, Escola de Referência em Ensimo Médio de Timbaúba, onde foi eleita Miss EREMT 2010. Aprovada no vestibular de Serviço Social da Universidade Federal de Campina Grande, durante os próximos quatro anos vai dividir seu tempo entre as cidades de Sousa-PB, onde existe um campus da UFCG, e sua amada Timbaúba.
Durante a tarde descontraída do domingo de Páscoa, Anniele Albuquerque posou especialmente para PASSARELA CULTURAL ao lado de sua mãe e tias. Da esquerda para a direita, Paula, Patrícia (mãe), Anniele, Pollyanna e Poline.
Por insistência de parentes e amigos, Anniele Albuquerque  participou da seleção pernambucana do último concurso Menina Fantástica, da Rede Globo. Seu tipo impressionou, mas não  conseguiu  um lugar entre as semifinalistas. Não se sentiu frustrada, e nem poderia. Para Timbaúba, ela é muito mais que uma Menina Fantástica.  
*****

SESSÃO NOSTALGIA - Martha Jussara da Costa, Miss Brasil 1979

Daslan Melo Lima

PRÓLOGO
          Recentemente, li no site comunidademoda.com.br que uma das mais famosas misses do Brasil voltou a morar no país depois de muitos anos radicada na Europa.  “Marta Jussara da Costa foi eleita Miss Brasil em 1979 e ficou em quarto lugar no Miss Universo daquele ano. Alguns anos depois casou com um italiano e foi morar na Itália aonde ficou por 17 anos. Na ultima semana Marta voltou definitivamente para morar novamente no Brasil aqui na cidade de São Paulo. Estamos discutindo muito a beleza e como continuar bela. Marta é uma mulher que além de conservar sua beleza é extremamente elegante. Sua presença é sentida aonde ela entra. Ela se impõe com sua educação e com sua delicadeza. Marta continua linda e resolvemos fazer um ensaio para marcar sua volta. O lugar não poderia ser mais adequado o Cattel SPA na Rua Estados Unidos. Foi uma manhã extremamente agradável. Marta esta super contente e com muito planos de trabalho.”

     A reportagem ilustrada com belas imagens atuais de Martha Jussara, clicada pelo competente fotógrafo Paulo Fernando, levou-me a mergulhar no   túnel do tempo, através dos meus álbuns de recortes, a fim de recordar as emoções do Miss Brasil e do Miss Universo daquele último ano da década de 1970. 

MISS BRASIL-79, A VEZ DO NORDESTE -  Martha Jussara, do Rio Grande do Norte, ganha em Brasília o título máximo da mulher brasileira. (Reportagem de Marlene Anna Galeazzi. Fotos de Rolnan Pimenta, Nilton Ricardo e André Dusek. Revista Manchete

           É tempo de miss e o concurso para a mais bela brasileira, que andava meio por baixo, cresceu muito quando passou a ser em Brasília. Desta vez, cerca de duas mil pessoas foram ao Ginásio de Esportes Presidente Médici, com torcidas organizadas, bandeiras, serpentinas e confetes. As 25 candidatas desfilaram diante do júri vestindo trajes típicos, longos e ousados maiôs, que por trás pareciam tangas. Os jurados escolheram 12 moças. Finalmente, foram classificadas cinco semifinalistas e destas saíram três finalistas. Miss Brasil-79 é Martha Jussara da Costa, candidata pelo Rio Grande do Norte, nascida em Mossóro, mas residente em São Paulo, onde estuda na Faculdade de Letras da PUC. Em segundo lugar foi classificada a representante de Góias, Suzanne Ferreira, estudante do pré-vestibular de Engenharia, em Goiânia. Em terceiro lugar ficou Léa Silva Dall Acqua, Miss São Paulo. As três moças irão disputar, respectivamente, os concursos de Miss Universo (na Austrália), Miss Mundo, em Londres, e Miss Beleza Internacional, no Japão. São tipos de beleza brasileira do Nordeste, Centro-Oeste e Sul.
 
Rejane Luiz da Silva Thomé, Miss Minas Gerais, quinto lugar; Léa Sílvia Dall'Acqua, Miss São Paulo, terceira colocada; Martha Jussara da Costa, Miss Rio Grande do Norte, primeiro lugar; Suzanne Ferreira de Andrade, Miss Goiás, segunda colocada; e Elizabeth Alves Corrêia, Miss Rio de Janeiro, quarto lugar.

Martha Jussara na passarela do Miss Brasil 1979, em traje típico e  no desfile vitorioso, com maiô Catalina, faixa, manto e coroa.
 
           Há poucos meses ela nem pensava em ser eleita a mais bela do Brasil. Tudo começou por acaso. Martha Jussara, a nova Miss Brasil, até meses atrás nem pensava no concurso de beleza. Morena de 1,80m de altura, nascida em Mossoró há 20 anos, mora em São Paulo, mas foi até a sua terra visitar os parentes durante o carnaval. Sua beleza chamou a atenção dos diretores do Clube Associação Cultural e Desportivo Potiguara, que a convidaram para enfrentar o desafio como representante única de seu estado. Devido ao problema das enchentes, o Rio Grande do Norte não iria realizar o concurso. Martha foi a Brasília e iniciou o desfile com um traje típico em homenagem à escritora potiguar Nísia Floresta Brasileira Augusta, pioneira do movimento feminista no país. E logo começou agradando. Após o resultado do concurso sua primeira frase foi: “A coroa está pesando demais." Mas não era o desabafo de quem está cansada e sim a surpresa que o resultado lhe causara. E depois acrescentou: “Estou muito contente, não apenas por mim mas também pelo meu noivo Cláudio, que me deu todo estímulo.” E entusiasmada também estava Mossoró, quando o resultado do concurso foi anunciado. Naquela hora, na cidade de Martha as usinas apitaram, os carros buzinaram e a população fez carnaval. Antes de disputar o título de Miss Universo, na Austrália, a moça terá ainda pela frente uma grande maratona. Que incluirá uma grande festa no Rio Grande do Norte, à sua espera. 

O alegre despertar de Martha Jussara, na manhã seguinte à sua coroação como Miss Brasil. Além de muitas frutas para não perder a silhueta, a maquilagem para ressaltar a beleza. Agora ela enfrentará uma maratona até a disputa de Miss Universo.

                  MOSSORÓ PARA NA CHEGADA DA MISS BRASIL 
           Mossoró, a segunda maior cidade do Rio Grande do Norte, parou, ontem à tarde, para homenagear a sua Miss Brasil, Marta Jussara da Costa, que representou o Rio Grande do Norte no concurso promovido pelos Diários Associados, para escolher a mais bela brasileira.  Um desfile em carro aberto, foguetões à entrada da cidade, charangas e um autêntico carnaval marcaram o encontro do povo mossoroense com a sua conterrânea que, pela primeira vez, trouxe para o Rio Grande do Norte o título de Miss Brasil.
          Marta Jussara chegou a Natal segunda-feira, quando foi recebida pela primeira dama do estado, sra. Wilma Maia , sendo saudada por uma multidão de curiosos que compareceu ao aeroporto Augusto Severo. Em seguida visitou o governador em exercício, Geraldo José de Melo, o Tribunal de Justiça e a Assembléia Legislativa. A Miss Brasil vestia um conjunto esportivo de blusa e calça preta, cabelo amarrado com uma fita e sem nenhuma pintura no rosto. Mostrando uma beleza bem nordestina distribuída por todo o seu corpo de um metro e oitenta de altura.
          Marta Jussara nasceu na cidade de Mossoró no dia 10 de agosto de 1958, sendo filha de Luiz Otto da Costa e Ivone da Costa. O seu pai é funcionário do aeroporto de Mossoró, residindo naquela cidade, atualmente. Quando Marta Jussara tinha dois anos de idade, seu pai foi transferido para São Paulo, onde ela viveu a infância e a juventude. Com a aposentadoria, toda a família voltou para Mossoró, inclusive Marta, que está tentando concluir seu curso de Comunicação.
          Após tirar o seu passaporte, ela viajará para a Austrália, devendo visitar Paris, durante dois dias. À Imprensa, Jussara declarou: “Irei divulgar o Rio Grande do Norte lá fora. Estou feliz porque vocês estão felizes”.(Diario de Pernambuco, 20/06/1979)

MARTHA JUSSARA NO MISS UNIVERSO
.....
 
As cinco finalistas do Miss Universo 1979.  Da esquerda para a direita, Anette Marie Ekström, Miss Suécia, quinto lugar; Carolyn Ann Seaward, Miss Inglaterra, terceira colocada; Martha Jussara da Costa, Miss Brasil, quarto lugar; Gina Ann Casandra Swainson, Miss Bermudas, segundo lugar; e Maritza Sayalero Fernández, Miss Venezuela, primeira colocada.

 O trono da beleza universal de 1979.
.....
Martha Jussara com o traje típico que usou no Miss Universo.
Martha Jussara com os troféus conquistados (segundo lugar na competição de melhor traje típico e o de quarto lugar entre as finalistas), com seu sorriso contagiante e o vestido de gala.
          A eleição da Miss Universo 1979 foi realizado em Perth, na Austrália, no dia 19 de julho, com a participação de 75 concorrentes. Martha Jussara da Costa fez grande sucesso, conquistando o segundo lugar nas competição de melhor traje típico e um honroso quarto lugar entre as finalistas. 
       Duas situações relacionadas ao evento tiveram repercussão na mídia. A primeira envolveu Patrícia Pineda Chamorro, Miss Nicarágua, devido à guerra civil em seu país. Tida como desaparecida e morta durante os combates em Manágua, chegou atrasada a Perth e retirou-se em seguida devido às ameaças sofridas por sua família. A segunda aconteceu poucos instantes depois do júri anunciar a escolha de Miss Universo. O palco de madeira não resistiu ao peso das concorrentes e fotógrafos e muitas pessoas caíram de uma altura de cerca de dois metros, enquanto parte da plateia entrava em pânico. 
 .....
Beleza tem vez mesmo na guerra. O drama de Patrícia Chamorro, Miss Nicarágua. (Diario de Pernambuco, edições dos dias 03 e 15/07/1979).
 .....
      Martha Jussara, classificada em 4º lugar no concurso de Miss Universo, estava entre as concorrentes que caíram ao chão com o palco improvisado. Embora tivesse sofrido um choque nervoso, a Miss Rio Grande do Norte nada sofreu na queda. Mas a mesma sorte não tiveram as representantes da Turquia, Fusin Tahire Dermitan, e Malta, Dain Borg Bartol. Fusin foi levada rapidamente a um hospital da cidade australiana de Perth, com suspeita de fratura do crânio e concussão cerebral. Dain Borg sofreu um ferimento na perna e quadris mas regressou ao hotel, logo após ter sido convenientemente medicada. O incidente ocorreu dois minutos depois que Miss Venezuela, ainda surpresa com sua eleição, se dirigia ao trono. Quando as demais jovens correram para cumprimentá-la, o piso de madeira não resistiu e cedeu. Mais tarde, Maritza Sayalero explicaria aos jornalistas: “Senti o trono balançar, ouvi as moças gritando e caindo para o lado. Puxei Miss Colômbia que estava a ponte de me beijar. De fato, foi inacreditável.” 
.....
Menos de dois minutos depois da eleição de Miss Universo, o piso do palco cedeu e lançou de uma altura de quase dois metros candidatas e fotógrafos. Entre elas, Miss Portugal, que é amparada por um diretor do concurso. (Manchete)

                      NÃO É FÁCIL SER MISS UNIVERSO  
Trechos do depoimento de Martha Jussara concedido à revista Manchete, em 11/08/1979

         As câmeras de televisão estavam desligadas e o programa de transmissão do Miss Universo, para o mundo inteiro, fora do ar, quando tudo aconteceu. Parecia o fim do mundo. Inesperadamente, quando estávamos comemorando a vitória de Miss Venezuela e a colocação que eu e Miss Bermudas havíamos alcançado, o chão sumiu dos nossos pés. A sensação de estar num vácuo foi terrível. Tentei me agarrar em alguma coisa, em alguém e não encontrei nada, gritar era a única reação de vida e de surpresa. (...) Tive apenas ligeiras escoriações em minhas pernas. Prejuízo total foi com o vestido que desfilei e que foi muito elogiado. Ficou completamente inutilizado. O pior em tudo isso é que ele me foi emprestado por uma amiga, a Eugênia, dona de uma butique em São Paulo. Vale quase Cr$ 15 mil. Não sei como ela vai ficar, quando souber do prejuízo sofrido. O acidente, no Miss Universo, foi o único lado negativo em toda minha curta experiência em concursos de beleza. Todo o resto vem sendo altamente positivo. Estou altamente enriquecida, como pessoa, em tudo o que me está sendo possível observar, desde o momento em que aceitei o convite do presidente da Associação Cultural e Desportiva Potiguar, de Mossoró, para ser a representante do Rio Grande do Norte no concurso Miss Brasil. Não é verdade que eu nasci e me criei em São Paulo. Nasci em Mossóro e minha família se mudou para São Paulo quando eu tinha dois anos. Em Mossoró e Natal eu ia passar férias ou visitar amigos. Fiquei muito chateada com as histórias que inventaram sobre o local onde nasci, esquecendo que várias foram as misses que não nasceram no estado que representaram o Brasil.
          O dia de uma miss começa ás sete horas da manhã, com o café, e vai até às 22 horas, quando todas devem estar em seus apartamentos. (...) Quatro dias antes do desfile final, cada uma das misses tem uma entrevista de cinco minutos, individual, com cada um dos membros do júri. Este é, verdadeiramente, o momento decisivo. Ela entra no escritório com uma ficha, na qual o juiz deverá colocar a sua assinatura após a entrevista. Ele, por sua vez, deve colocar uma nota na ficha que fica em seu poder. As notas variam de 0 a 10. Lembro que eu surpreendi um dos jurados – acho que foi o representante da França – quando ele me perguntou com quem eu gostaria de estar, naquele momento, e respondi: com Amuar Sadat. Expliquei-lhe que, sendo Sadat um homem que estava lutando pela paz, deveria ser bastante interessante passar algumas horas conversando com ele. Soube, depois, que esse jurado comentou o fato com outros e isso deve ter contribuído para a excelente nota que consegui e o prestígio que passei a desfrutar, após as entrevistas, mesmo na ganhando o título. Soube que a maioria das misses respondeu que gostaria de estar com o papa.
          Falando sinceramente, eu não gostei do resultado final. Acho que candidata melhor do que eu e outras misses que ocuparam os primeiros lugares era a representante da Inglaterra. Mas como todo concurso que se preza, existe sempre a necessidade de se fazer um trabalho de relações públicas. E esse trabalho foi feito pela Miss Venezuela. Não só os seus pais como outros parentes, jornalistas e promotores do concurso estava fazendo um trabalho junto aos jurados. Isso ajudou muito, pois ela não era a melhor e acabou ficando com o título. Pelo que me contaram, houve um tempo, num passado recente, que as misses brasileiras desfrutaram do mesmo apoio. Isso não acontece mais. Blanca, a minha amiga e acompanhante, fez das tripas coração pra me ajudar. E conseguiu muita coisa, o meu nome andou sendo badalado em alguns jornais de Perth. Por falar em Perth, cidade que eu nunca imaginei que pudesse existir, ela é uma beleza. E limpa. Se você jogar um pedaço de papel, ponta de cigarro ou qualquer outro detrito na rua, paga uma multa, na hora, de 20 dólares (Cr$ 600,00). Os carros não têm buzina. Se você quiser colocar buzina no seu carro, tem que pagar uma taxa altíssima e, se buzinar em locais proibidos, a multa é de 100 dólares (Cr$ 3 mil). E tudo na base do ou paga ou vai para a cadeia, sem desculpa.
         Mas, voltando a falar do concurso Miss Universo, chamou-me a atenção o esquema de segurança com que cada miss é cercada. (...) O cantor Júlio Iglesias ficou fã da minha acompanhante e chegou a dizer que o seu voto era meu. Um outro cantor, também no júri, Don Martin, acho que de brincadeira, mandou algumas flores para o meu apartamento, com um cartão propondo casamento. Senti-me, é claro, um pouco orgulhosa. Qual a mulher que não gosta de ser cortejada? Mas não levei nenhum dos casos a sério. (...) Como terei um ano inteiro de compromissos com o concurso, fui obrigada a trancar matrícula do meu curso de Comunicação, na PUC de São Paulo. Meu sonho é ser jornalista. Após passar essa fase de miss e da carreira de manequim e modelo fotográfico, decidi aceitar o convite feito por MANCHETE para escrever sobre a experiência vivida desde o Miss Brasil até o Miss Universo. Claro que não deu para contar tudo. Para isso seria necessário uma edição inteira de MANCHETE. Essas são as experiências mais marcantes. Espero que os leitores aprovem esse meu primeiro trabalho jornalístico, e me contemplem com nota tão alta quanto as que recebi no Miss Brasil e no Miss Universo.

 NORDESTE-SONHO-FESTA-CAPAS DE REVISTAS


..........Martha Jussara da Costa foi a quinta representante de um estado nordestino a conquistar o primeiro lugar no concurso Miss Brasil. Antes dela tivemos Martha Rocha (Miss Bahia 1954); Emília Corrêa Lima (Miss Ceará 1955); Maria Olívia Rebouças Cavalcanti (Miss Bahia 1962) e Martha Vasconcellos (Miss Bahia 1968). Depois de Marta Jussara assistimos as vitórias de Flávia Cavalcante (Miss Ceará 1989) e Larissa Costa (Miss Rio Grande do Norte 2009).
.....
..........Para Jussara, só concorrer na Austrália já foi uma vitória. Pouco antes da eleição de Miss Universo 1979, um jornalista havia prognosticado: “Quando a Miss Brasil é uma candidata da Bahia e adjacências o êxito está assegurado.” Martha foi uma das candidatas mais aplaudidas pelas sete mil pessoas que se concentravam no centro de espetáculo de Perth. “Eu não sonhei sequer em ser Miss Rio Grande do Norte, quanto mais terminar finalista na Austrália” - confessou Martha Jussara.(Manchete)
.....
..........Nem tudo foi festa para o povo potiguar. Na Parada das Nações (apresentação inicial) do concurso, Marta esqueceu o Rio Grande do Norte, anunciando que representava São Paulo, causando constrangimento em todo o povo norte-riograndense que assistia o concurso via TV. Marta voltou ao Estado em 1989 para as comemorações de seus 10 anos de Miss Brasil, na ocasião do Miss Rio Grande do Norte 1989 que aconteceu no Palácio dos Esportes, em Natal, lotando suas dependências pelo público que queria vê-la e aplaudi-la.(www.onordeste.com).
..........Eu acredito que, por conta da ansiedade do momento, Martha Jussara tenha tido um lapso de memória na hora em que disse que era de São Paulo, afinal foi na capital paulista onde ela viveu toda sua vida.
.....
..........Martha Jussara da Costa em capas de revistas.

 Claudia, janeiro de 1982.
.....

 Cosmopolitan NOVA, setembro de 1981.
.....
Cosmopolitan NOVA, fevereiro de 1982.
.....
EPÍLOGO


..........Naquele julho de 1979, preocupei-me com a rota do Skylab, o laboratório espacial norte-americano que iria cair em algum lugar da Terra. E se caísse em cima de mim? E se caísse em cima das misses? ( Risos...)
Skylab
A partir da esquerda, as misses Dinamarca, Gladys Jorgensen; Fusum Demirtas, Turquia; Lolita Armbrister, Bahamas, e Margrethe Oglaend, Noruega, lêem em Perth, a notícia da queda do Skylab. (Diario de Pernambuco, 13/07/1979)
       Destroços do Skylab cairam no Oceano Índico, na costa australiana,  e um pedaço deles foi exposto em Perth e admirado pelas misses. 
.....
           Vou encerrar esta Sessão Nostalgia, sair do túnel do tempo e voltar para a realidade de 2012. Vou rever outras imagens de Martha Jussara da Costa que encontrei no comunidade.com.br.

       Não me canso de olhar para estas fotos e de louvar o implacável Sr. Tempo, que  só contribuiu para tornar mais bela a quinta nordestina que o destino levou um dia para São Paulo e  que em 1979 fez dela a quarta mulher mais bela do universo. 

*****