a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 642, referente ao período de 22 a 28 de outubro de 2017. ***** Editor: Daslan Melo Lima ***** Timbaúba, Pernambuco, Brasil ***** Telefone: (81) 9.9612-0904 (Tim). ***** WhatsApp: +55 81 9.9612.0904 ***** E-mail: daslan@terra.com.br

sábado, 24 de abril de 2010

SESSÃO NOSTALGIA - EDILENE CAETANO, MISS SESI INDUSTRIÁRIA 1978

Daslan Melo Lima


      No dia 28/03/2010, recebi o seguinte e-mail: “Oi, Daslan. No ano de 1978, eu tinha 16 anos de idade e morava na cidade de Escada, trabalhava na Indústria de Tecelagem e fui convidada pelo Sesi do Recife (Casa da Indústria, Av. Cruz Cabugá), cuja Assistente Social na época era Eli Braz, para concorrer ao Miss Sesi Industriária, realizado no Sesc. Ganhei e fui convidada a participar do Miss Pernambuco. Foi no ano que Ângela Agra Galvão, linda, belíssima, foi eleita. Eu tenho muita curiosidade de ver vídeos e fotos do concurso Miss PE-78, pois não tenho nada para mostrar aos meus filhos. As únicas lembranças são as fotos e a faixa de Miss Sesi Industriária, que guardo até hoje com muito carinho. Gostaria de conseguir material daquele tempo. Ajude-me, por favor. EDILENE CAETANO"

      Fiquei contente e emocionado com o contato. Respondi para Edilene que gostaria muito de contribuir com ela para o resgate das imagens do Miss Pernambuco 1978, mas tenho pouca coisa sobre aquele certame, apenas algumas fotos de jornais de Ângela Agra Galvão e das semifinalistas. Para compensar sua frustração, e para relembrar um dos maiores eventos da história do Miss Pernambuco, prometi elaborar uma matéria em sua homenagem em PASSARELA CULTURAL, através da secção SESSÃO NOSTALGIA.

Edilene Caetano, aos 16 anos de idade, quando foi eleita Miss Sesi Industriária 1978. (Foto: Arquivo Pessoal-EC)


      Edilene Caetano Silva de Souza, nascida Edilene Caetano da Silva, filha de Euclides Caetano da Silva e Maria Marques da Silva é natural da cidade de Escada-PE, onde nasceu em 18/05/1962. Reside atualmente em Paulista, cidade pernambucana que faz parte da região metropolitana do Recife. É casada com o vendedor Marcos Carvalho de Souza e tem dois filhos: Marcos Carvalho de Souza Filho (28) e Kyvia Laiane Silva de Souza(22). Exerce atividade autônoma e não esquece da tranqüila cidade interiorana onde viveu, da Escola Nossa Senhora da Escada, das professoras Irmã Maria da Encarnação e Irmã Leonia, da colega Laudinéia Jacinto...


Márcia Cavalcanti Neves, Miss Sesi Industriária, quarta colocada no Miss Pernambuco 1977. (Foto-reprodução do Diario de Pernambuco, Acervo DML)

      Não foi fácil a grande responsabilidade que recaiu sobre Edilene Caetano, pois sua antecessora, Márcia Cavalcanti Neves, Miss Sesi Industriária 1977, uma das garotas mais belas e inteligentes da história do concurso Miss PE, tinha sido a quarta colocada no Miss Pernambuco 1977. Muitas pessoas ligadas ao SESI, Serviço Social da Indústria, alimentavam expectativas de que Edilene podesse ir mais longe do que Márcia, o que não ocorreu. Edilene Caetano não conseguiu um lugar entre as semifinalistas do Miss Pernambuco 1978. 

      Enviei um questionário para Edilene Caetano por e-mail, no melhor estilo entrevista ping-pong. Ela respondeu acompanhado de duas imagens do tempo de Miss e de outras duas feitas recentemente. E agora, vamos conhecer um pouco daquela graciosa garota de Escada, que um dia viveu na passarela do Ginásio de Esportes Geraldo Magalhães Melo, no Recife, uma das maiores emoções da sua vida.


Edilene Caetano desfilando em traje típico na noite da eleição da Miss Sesi Industriária 1978. (Foto: Arquivo Pessoal-EC)


Quantas garotas participaram do Miss Sesi-Industriária? Qual o prêmio para a vencedora? 
Oito garotas participaram, entre elas as representantes de Timbaúba, Cabo e outras que no momento não lembro. Na época, ao ganhar o título, prometeram um trabalho para mim no SESI, mas não sairam da promessa. 
-----
Valeu a pena ter disputado o título de Miss Pernambuco? 
Sim. Foi uma experiência fantástica.
-----

O que mudou em sua vida após o título de Miss Sesi Industriária?
Fiz muitas amizades. Dois anos depois, aos 18 anos de idade, casei com Marcos Carvalho de Souza, meu marido, com quem vivo até hoje, e saí de Escada. Ainda tenho família lá e sempre que possível retorno à minha terra, onde sou até hoje reconhecida como a Miss da cidade.
-----
Uma Miss Pernambuco
Ângela Agra Galvão, a Miss do ano em que disputei o título, 1978.
-----
Uma Miss Brasil
Vera Fischer, Miss Brasil 1969.
-----
Uma brasileira que poderia ter sido Miss Universo
Natália Guimarães, segunda colocada no concurso Miss Universo 2007.
-----
Você incentivaria sua filha a participar de um concurso de Miss? 
Sim, com toda certeza.
-----
O que você acha que mudou nos concursos de hoje? 
Os prêmios são mais atrativos e os eventos mais organizados.
-----
Você tinha apenas 16 anos de idade quando foi eleita Miss Sesi Industriária. Não houve nenhum problema para aceitarem sua inscrição no concurso de Miss PE por você ser menor de idade? 
Sim, mas no documento de inscrição colocaram 18 anos.
-----
Qual a maior recordação que você guarda do tempo de Miss? 
Das pessoas que me deram assistência e com as quais tenho contato até hoje.
-----
PING-PONG COM EDILENE CAETANO......................................................
Comida: Peixada ***** Bebida: Suco de maracujá *****  Sobremesa: Pudim *****  Cor: Lilás  ***** Clube esportivo: Santa Cruz Futebol Clube *****  Um jogador: Pelé ***** Religião: Evangélica  *****  Viver é... Semear ao redor felicidade e paz  *****  Envelhecer é... Uma dádiva de Deus envelhecer com saúde *****  Morrer é... Um descanso Eterno  ***** As palavras mais belas da língua portuguesa: Sorte, Amor, Felicidade, entre outras *****  As palavras mais feias da língua portuguesa: Mentira, Falsidade e Inveja *****  Um filme: Uma linda mulher ***** Um programa de TV: Fantástico ***** Um livro: A Bíblia  *****  Um escritor ou escritoa: Zibia Gasparetto ***** Uma canção: Debaixo dos Caracóis dos Seus Cabelos, de Roberto Carlos e Erasmo Carlos  ***** Um cantor: Roberto Carlos  ***** Uma cantora: Fafá de Belém  *****  Um ator: José Mayer  *****  Uma atriz: Vera Fischer  *****  Uma mulher bonita: Kyvia Laiane Silva de Souza, minha filha ***** Um homem bonito: Marcos Carvalho de Souza Filho , meu filho *****  Uma saudade: Leonardo Vieira, meu sobrinho  *****  Um motivo de arrependimento: Não ter seguido a carreira como Técnica de Enfermagem  ***** Um motivo de orgulho: Meus filhos  ***** Um ponto turístico de Pernambuco: Olinda  ***** Dia ou noite? Dia *****  Samba ou frevo? Frevo  ***** Um frevo: Madeira do Rosarinho, de Capiba  ***** A cidade dos seus sonhos: Rio de Janeiro  *****  Animal de estimação: Meu cachorro Mylon  *****  Sonhos de consumo: Possuir uma loja de confecções e uma granja com uma grande área verde para relembrar minha infância  *****  Maior defeito: Impaciência  ***** Maior virtude: Generosidade  *****  O que mais admira em um ser humano: Honestidade  ***** O que não suporta em um ser humano: Antipatia ***** Se o mundo fosse acabar amanhã... Reuniria toda minha família *****  Se você fosse Presidente da República... Melhoraria a saúde do Brasil  ***** Uma personalidade que a história guardou: O famoso pintor Cícero Dias, meu conterrâneo ***** Uma personalidade que a história vai guardar: Ariano Suassuna


Edilene Caetano e os filhos Kyvia Laiane Silva de Souza e Marcos Carvalho de Souza Filho. (Foto: Arquivo Pessoal-EC)

Edilene Caetano e os dois Marcos da sua vida: Marcos, o esposo, e Marcos, o filho. (Foto: Arquivo Pessoal-EC)

      Abaixo, compartilho com Edilene Caetano, Miss Sesi Industriária 1978, e com todos os leitores de PASSARELA CULTURAL, as poucas imagens que possuo do Miss Pernambuco 1978, valiosos recortes do Diario de Pernambuco pertencentes ao meu acervo. Por favor, alguém que tenha qualquer material sobre aquele certame, faça contato conosco, informando seu e-mail para troca de informações. Será um prazer repassar para Edilene Caetano os registros materiais de um tempo que lhe é tão caro, um tempo que se foi, para sempre se foi.


As semifinalistas do Miss Pernambuco 1978. (Foto-reprodução do Diario de Pernambuco, Acervo DML)


Momentos que antecederam o anúncio do resultado do Miss Pernambuco 1978. A vencedora, Ângela Agra Galvão, Miss Clube Português do Recife, é a quarta, da esquerda para a direita. Na extrema direita, Zilene de Sá Torres, Miss Goiana, Miss Pernambuco 1977. (Foto-reprodução do Diario de Pernambuco, Acervo DML)


Ângela Agra Galvão, Miss Clube Português do Recife, Miss Pernambuco, quinta colocada no Miss Brasil 1978. Detalhe: A imagem está autografada por Ângela Agra e a figura masculina que aparece ao fundo é a do apresentador Paulo Max, falecido em 1996, vítima de acidente de carro onde também perdeu a vida sua esposa Maria José. Durante muitos anos, Paulo Max foi o apresentador do concurso Miss Brasil. (Foto-reprodução do Diario de Pernambuco, Acervo DML).

   -----
No dia 29/05/2010, EDILENE CAETANO voltou a ser focalizada nesta secção. A matéria consta nos arquivos deste blog, mas resolvi reproduzi-la abaixo, a fim de ambas as reportagens  ficarem juntas neste espaço.
-----

SESSÃO NOSTALGIA - EDILENE CAETANO, A HISTÓRIA DO RESGATE DAS LEMBRANÇAS DE UMA MISS

Daslan Melo Lima

PRÓLOGO

          As secções Sessão Nostalgia do PASSARELA CULTURAL já me proporcionaram muitas alegrias. Várias Misses do passado, nacionais e internacionais, assim como seus familiares e amigos, já fizeram contato comigo por causa dos textos aqui publicados. Missólogos de várias partes do Brasil e do exterior encontram nas matérias que produzo semanalmente fatos e fotos para suas pesquisas e arquivos. Esta semana, vou contar para vocês uma história muito interessante, desenvolvida em quatro pequenos capítulos.

CAPÍTULO 1
EM BUSCA DAS RECORDAÇÕES DE 1978

          No dia 24/04/2010, rendi homenagem a Edilene Caetano, Miss Sesi Industriária, candidata ao Miss Pernambuco 1978. Na ocasião, ilustrei a matéria com duas fotos suas em maiô, feitas no dia em que foi eleita Miss Sesi, pertencentes ao seu Arquivo Pessoal, as duas únicas imagens que ela possuía do seu tempo de rainha da beleza.Os contatos virtuais entre mim e Edilene Caetano tiveram início no dia 28/03/2010, quando recebi o seguinte e-mail:
“Oi, Daslan. No ano de 1978, eu tinha 16 anos de idade e morava na cidade de Escada, trabalhava na Indústria de Tecelagem e fui convidada pelo Sesi do Recife (Casa da Indústria, Av. Cruz Cabugá), cuja Assistente Social na época era Eli Braz, para concorrer ao Miss Sesi Industriária, realizado no Sesc. Ganhei e fui convidada a participar do Miss Pernambuco. Foi no ano que Ângela Agra Galvão, linda, belíssima, foi eleita. Eu tenho muita curiosidade de ver vídeos e fotos do concurso Miss PE-78, pois não tenho nada para mostrar aos meus filhos. As únicas lembranças são as fotos e a faixa de Miss Sesi Industriária, que guardo até hoje com muito carinho. Gostaria de conseguir material daquele tempo. Ajude-me, por favor. EDILENE CAETANO"

          Fiquei contente e emocionado com o contato. Respondi para Edilene que gostaria muito de contribuir com ela para o resgate das imagens do Miss Pernambuco 1978, mas que tinha pouca coisa sobre aquele certame, apenas algumas fotos recortadas do jornal Diario de Pernambuco, focalizando Ângela Agra Galvão, a vencedora, e as semifinalistas do Miss Pernambuco 1978.Para compensar sua frustração, e para relembrar um dos maiores eventos da história do Miss Pernambuco, dediquei a Edilene Caetano Sessão Nostalgia da semana 25 de abril/1º de maio 2010, disponível nos arquivos deste blog. Na reportagem, postei fotos atuais de Edilene ao lado de sua família e o material que dispunha no meu acervo, as fotos de Ângela Agra e semifinalistas do Miss PE-78.No texto da Sessão Nostalgia daquela data, fiz um apelo:
“Por favor, alguém que tenha qualquer material sobre aquele certame, faça contato conosco, informando seu e-mail para troca de informações. Será um prazer repassar para Edilene Caetano os registros materiais de um tempo que lhe é tão caro, um tempo que se foi, para sempre se foi.”

CAPÍTULO 2
O RESGATE DE UM MATERIAL PRECIOSO

          Os milagres acontecem todos os dias, durante o fantástico show da vida. No dia 21/05/2010, não tive como conter minha emoção. Eis o e-mail que recebi do Roberto Macêdo, leitor assíduo do PASSARELA CULTURAL, jornalista e arquiteto baiano, editor do Miss News (www.missnews.com.br) e Assessor de Imprensa do Dr. Edvaldo Brito (Advogado, Jurista e Vice-prefeito de Salvador-BA):
"Olá Daslan. Tudo bem contigo? Fui em busca dos meus arquivos e consegui algumas coisas que podem interessar à Miss Sesi 78. Material em anexo. Um abraço, Roberto"

          Abaixo, o material enviado por Roberto Macêdo, relíquias publicadas há 32 anos no Diario de Pernambuco.

Na imagem do recorte acima, Maria das Dores Bezerra Lima, Miss Fabrica Othon Bezerra de Melo, segunda colocada no Miss Sesi Industriária 1977, ao lado de Edilene Caetano. Detalhe: Márcia Cavalcanti Neves, Miss Sesi Industriária 1977, não chegou ao fim do seu reinado porque casou, tendo sido substituída em vários eventos por sua vice, Maria das Dores, que entregou a faixa a Edilene Caetano, Miss Sesi Industriária 1978.

CAPÍTULO 3
UMA ALEGRIA COMO SE TIVESSE GANHO NA LOTERIA

         Não preciso dizer que Edilene Caetano ficou felicíssima com o presente. Eis o e-mail que enviou-me no dia 23 de maio:
"Oi, Daslan! Meu Deus! Você não sabe a felicidade que me fez. Você não tem ideia do que estou sentindo! Estou vibrando de alegria com toda a minha família! Depois de 32 anos, eu não estou acreditando! A alegria para mim foi a mesma que tirar na Loteria. Beijos, meu anjo."

          Respondi a Edilene, com cópia para o Roberto:
"Edilene, você está feliz e eu mais ainda, por saber que, com a valiosa contribuição do Roberto Macêdo, contribui para o resgate de uma fase inesquecível de sua vida."


CAPÍTULO 4
A CERTEZA DE QUE VIVER VALE A PENA


          Abaixo, e-mail do Roberto Macêdo, de 24/05/2010, que diz muito do seu caráter e personalidade:
"Daslan, acredito que eu tenha ficado muito mais feliz do que Edilene e você. São com esses gestos simples, que não nos custam nada, que temos a certeza de que viver vale a pena. Um abraço, Roberto."

EPÍLOGO

          Minha paixão por Misses começou em criança. Paixões são paixões, misteriosas paixões. As minhas são por Misses, Poesia e Antiguidades. Há quem colecione caixas de fósforos, selos, pratos de porcelana, imagens de Papai Noel... Paixões são paixões, simplesmente paixões. Não se explicam.
          Com a graça de DEUS, enquanto durar minha caminhada no Planeta Terra, quero continuar produzindo outras e outras secções Sessão Nostalgia. Quero dar minha parcela de contribuição para o resgate e preservação da memória dos concursos de beleza, partes inesquecíveis de um tempo que se foi, para sempre se foi.

*****

sábado, 17 de abril de 2010

SESSÃO NOSTALGIA - Glória Diaz, Miss Universo 1969

Daslan Melo Lima


PRÓLOGO

      O ano era o de 1969, o último de uma década mágica que mudou a face do planeta Terra. Naquela semana de julho, a imprensa do mundo inteiro estava de olho nos Estados Unidos por dois motivos: o concurso Miss Universo e a chegada da nave espacial Apolo 11 à Lua.

UM GRANDE PASSO PARA A HUMANIDADE

“Este é um pequeno passo para um homem, mas um grande passo para a Humanidade”. Com estas palavras, exatamente às 23h56min do dia 29/07/1969, Neil Armstrong colocou o pé esquerdo na Lua e deu seu primeiro passo na superfície fina e poeirenta do satélite. A expectativa e o nervosismo de milhões de pessoas em todo o mundo, que acompanhavam pela televisão as manobras da Apolo 11 no espaço, transformaram-se num sorriso de satisfação e otimismo. Vinte minutos depois, Edwin Aldrin recebia ordem do centro de Houston para juntar-se a Armstrong no solo. A bordo, Michael Collins permanecia no comando da navegação, em órbita lunar, acompanhando através das informações da Terra os mínimos detalhes da conquista.


Michael Collins, Neil Armstrong e Edwin Aldrin (da esquerda para a direita), os personagens da viagem fantástica. Enquanto Collins permanecia no Módulo de Comando, em órbita lunar, Armstrong e Aldrin desceram à Lua, deixando lá uma placa com os dizeres: ”Aqui, homens do planeta Terra colocaram, pela 1ª vez, seu pés na Lua. Viemos com espírito pacífico, em nome de toda a humanidade.” (Revista O Cruzeiro, 31/07/1969)

CONCURSO MISS UNIVERSO 1969

      O Miss Universo 1969 foi realizado em Miami Beach, no dia 19 de julho, com a participação de 61 concorrentes de várias partes do mundo.


As finalistas do Miss Universo 1969. Da esquerda para a direita: Miss Austrália, Joanne Barret, terceiro lugar; Miss Finlândia, Harriet Marita Eriksson, segundo lugar; Miss Filipinas, Gloria Maria Aspillera Díaz, primeiro lugar; Miss Israel, Chava Levy, quarto lugar; e Miss Japão, Kikuyo Ohsuka, quinto lugar. (Foto: O Cruzeiro, 31/07/1969)

      As semifinalistas foram: Miss Áustria, Eva Rueber-Staier (eleita depois Miss Mundo 1969, em Londres); Miss Brasil, Vera Lúcia Fischer; Miss Chile, Mónica Larson Teuber; Miss Colombia, Margarita Maria Reyes Zawadsky; Miss Noruega, Patricia "Pia" Ingrid Walker; Miss Peru, Maria Julia Mantilla Mayer; Miss Suécia, Birgitta Lindloff ; Miss Suiça, Patrice Sollner; Miss Estados Unidos, Wendy Jane Dascomb e Miss Iugoslávia, Natasa Kosir.


As 10 Mais do Miss Universo 1969 em traje de banho: Na fila de trás, da esquerda para a direita, as Misses Filipinas, Áustria, Finlândia, Colômbia e Austrália. Na fila da frente, da esquerda para a direita, as Misses Israel, Estados Unidos, Peru, Brasil e Iugoslávia. (Foto: O Cruzeiro, 31/07/1969)

      As Misses mais aplaudidas foram as do Chile, Áustria, Brasil, Chile, Venezuela, Finlândia, Noruega, Argentina e Colômbia. O nome de Glória Diaz não apareceu em nenhuma lista de favoritas e sua vitória foi uma grande surpresa.


Glória Diaz, Miss Filipinas, Miss Universo 1969. (Foto: www.reymos.wordpress.com)

      Nascida em 10 de março de 1950, Glória Diaz, cabelos e olhos escuros, era estudante do curso secundário em Manilha e tinha dois irmãos e nove irmãs. Detalhe: Rio Diaz, nascida Rosário Diaz, sua irmã caçula, vencedora em 1977 do concurso de beleza “Mutya ng Pilipinas”, foi casada com o cantor Hajji Alejandro, trabalhou como atriz de cinema e morreu em 2004, aos 45 anos, vítima de câncer de cólon.

Assediada pelos repórteres, Glória Diaz revelou com simplicidade os seus dados pessoais: o pai é negociante em Parnaque, onde vive a família. Ela fala, além do filipino, inglês e espanhol, toca piano e já se aventurou no teatro amador. Mas não fez referência a nenhum interesse em tornar-se atriz - preferia ser modelo. Apesar do jeito tímido, Miss Universo revela, em público, forte personalidade, que parece ser, cada vez mais, um argumento de grande peso para os jurados.(Revista Manchete)

      A resposta que Glória Diaz deu na entrevista, segundo alguns, foi decisiva para os jurados darem a ela o primeiro lugar. Pergunta do apresentador Bob Barker: O que você faria para entreter um homem que voltasse da Lua? Resposta de Glória Diaz: Como ele era daqui da Terra, conversaria com ele sobre qualquer assunto que falaria com qualquer outro homem.

      Evandro Silva, editor do Misses na Passarela Blogger, www.evandrosilvabr.blogspot.com, em depoimento recente à PASSARELA CULTURAL, declarou que a resposta de Gloria Maria Diaz foi muito inteligente, pois a filipina percebeu que não deveria inventar um assunto especial para entreter um homem que "apenas" tinha estado no espaço sideral, haja vista que ele continuaria sendo um terráqueo.

GLÓRIA DIAZ NO BRASIL

À primeira vista ela não impressiona muito. Talvez por isso, Glória Diaz, a filipina que este ano foi declarada a mais bela mulher do Universo, em Miami, percorreu três vezes a passarela da Fenit, em São Paulo, em cada uma de suas duas apresentações diárias, repetidas durante toda a semana. Quando Glória passava pela terceira vez, o público se convencia da justiça de sua eleição e prorrompia nos mais demorados aplausos.

O forte de Glória parece ser mesmo a comparação, pois junto com ela vieram as outras quatro primeiras colocadas no concurso Miss Universo: Misses Finlândia, Austrália, Israel e Japão, que aqui se uniram com a brasileira Vera Fischer, formando um sexteto exponencial de beleza feminina.
Simples e dotada de alto poder de comunicação, Glória Diaz certamente venceria também qualquer concurso mundial de simpatia. Quando foi convidada a dançar samba com acompanhamento de cuíca e agogô, ela demonstrou uma tal desinibição que lhe possibilitou acompanhar com razoável perfeição os passos de seus acompanhantes de partido alto – os Originais do Samba.
Durante um prolongado passeio pela capital paulista, Miss Universo mostrou-se interessada em conhecer tudo, fazendo perguntas a respeito de cada coisa nova com que deparava. Nessa ocasião, em contato mais próximo com as pessoas, confirmou o seu elevado grau de sociabilidade que certamente foi somado pelos jurados à beleza perfeita e serena: juntas, estas qualidades lhe deram o título de Miss Universo. (Revista Manchete)


As cinco finalistas do Miss Universo 1969 no Viaduto do Chá, em São Paulo, SP. Da esquerda para a direita: Miss Japão, Kikuyo Ohsuka, quinta colocada; Miss Finlândia, Harriet Eriksson, vice-Miss Universo; Miss Filipinas, Glória Diaz, Miss Universo; Miss Israel, Chava Levy, terceira colocada; e Miss Austrália, Joanne Barret, quarta colocada. (Foto: Manchete)

COMO VIVE HOJE A MISS UNIVERSO 1969

      Acredite ou não, mas o maiô Catalina que Gloria Diaz usou no concurso Miss Universo 1969 ainda se encaixa perfeitamente em seu corpo. Suas medidas continuam as mesmas. Não há nenhuma mudança corporal entre a Glória Diaz de 1969 para a Glória Diaz atual.


Glória Diaz em 2008, trinta e nove após ter conquistado o título de Miss Universo 1969. (Foto: www.andronico.wordpres.com)

      Celebridade estimadíssima nas Filipinas, onde é atriz de cinema e modelo de famosas campanhas publicitárias, Glória Diaz ganhou em 2005 o Famas Awards, o Oscar filipino, de Melhor Atriz Coadjuvante, por seu papel no filme Nasaan Ka Man. Glória Diaz tem duas filhas, Ava Esmeralda e Isabel, frutos da sua união com o empresário Gabriel "Bong" Dazao, e um filho adotivo, RafaelEm dezembro de 2008, durante entrevista a Ricardo F. Lo, do The Philippine Star, www.philstar.com, ela declarou quais eram os cuidados que tinha com a aparência:

Tenho um estilo de vida saudável. Comer saudável e permanecer ativo é o que traz a verdadeira beleza. Dizem que a beleza é superficial, mas com um estilo de vida saudável, você se torna bela por dentro. Uma vez que você alcançou uma certa idade, tem que trabalhar seus pontos positivos, não se pode mais contar tanto com a beleza física. Você amadurece e aprende a amadurecer corretamente. Faço exercício. Evito açúcar. Eu tento não ficar muito tempo sob o sol. Estou feliz com minha aparência. Tomo muita água, um monte, mais de oito copos! Eu costumava fazer equitação, mas não tenho um cavalo agora. Além disso, quando você atinge uma certa idade, deve parar porque tem medo de cair e os seus ossos estão mais frágeis. Eu queria poder dormir mais, mas tento compensar isso tirando sonecas durante o dia.

      Algumas perguntas e respostas compactadas extraídas da entrevista de Glória Diaz a Ricardo F. Lo, do The Philippine Star:

Ricardo F.Lo/The Philippine Star - Qual é a última coisa que você faz antes de ir dormir?
Glória Diaz - Algumas pessoas dizem que a última coisa que elas fazem é uma oração. Eu rezo todas as horas do dia. Se algo de bom acontece comigo, a primeira coisa que eu digo é: "Obrigado, meu Deus!"
RFL - Qual parte do seu corpo é mais vulnerável?
GD - Minha garganta. Quando eu estou animado que seca, quando estou feliz, que seca, quando estou com raiva, que seca. É secando o tempo todo.
RFL - Neste ponto, que parte de seu corpo necessita de uma pequena melhora?
GD - Hummm... Eu diria 99 por cento de mim(risos ).
RFL - Cada parte do seu corpo é original?
GD - Nem todas. Eu uso lentes de contato!
RFL - Você acha que precisa de cirurgia plástica?
GD - Eu tenho muito medo de agulhas. Mas quem sabe um dia, daqui a 10 ou 20 anos.
RFL - E que parte do seu corpo é a favorita?
GD - Meus pés. Eu tenho os pés bons.
RFL - Como é sua visão sobre a vida?
GD - Positiva. Eu não me preocupo, talvez porque esteja acostumada a estar neste tipo de negócio em que hoje está tudo muito bem e amanhã ninguém te chama para um emprego. Mas antes, eu costumava me preocupar um pouco. Depois de fazer um filme, mesmo que tenha saído muito bem nas bilheterias, eu me preocupava se iria receber ou não outra oferta de trabalho. Agora, eu me preocupo só em fazer o melhor que posso.
RFL - Quando você assiste ao concurso de Miss Universo na TV, o que as memórias trazem de volta?
GD - Eu sempre penso: Como eu consegui? Mesmo minhas filhas quando assistem o desfile dizem: Mãe, eu não posso acreditar que você ganhou. Como você fez isso? Você não estava bonita. Respondo: Talvez eu tivesse um corpo bonito. A competição antes era melhor, porque todas as meninas eram naturais.

EPÍLOGO

Durante duas horas e quarenta minutos, Armstrong e Aldrin passearam pela Lua, recolhendo amostras e filmando a região do Mar da Tranquilidade. De volta ao módulo, o Centro de Houston pediu a opinião particular dos astronautas a respeito da paisagem. “Linda, linda, linda”, foi só o que souberam responder. (O Cruzeiro, 31/07/1969)

      Imagino Glória Maria Diaz naquele 1969, de volta ao seu país, tranqüila, recebendo mil homenagens, e os filipinos ao seu redor exclamando “Linda, linda, linda”, tal como os astronautas diante da paisagem da Lua.

*****

sexta-feira, 9 de abril de 2010

SESSÃO NOSTALGIA - NO TEMPO DO CONCURSO MISS SUÉTER

Daslan Melo Lima

ANTES DO SILICONE

.....Nas décadas de 1950 e 1960, um concurso despertava muita atenção, embora sem o glamour idêntico ao que existia no Miss Brasil. Tratava-se do Miss Suéter, um certame que procurava destacar as jovens que aparentavam ter bustos bem proporcionados. Ninguém falava naquela época em silicone. Os únicos truques permitidos, e que todos sabiam que existiam, eram os de as concorrentes usarem sutiãs de boas marcas que destacavam suas silhuetas, sutiãs cujas propagandas podiam ser vistas nas maiores revistas brasileiras, como os da marca Magic-Form e De Millus. Para usar no concurso, o ideal era o sutiã no estilo denominado bullet, que deixava os seios pontiagudos.


Elegante! Confortável ! Saudável ! Quaisquer que sejam as proporções de sua silhueta, Você encontra o MAGIC-FORM exato para suas medidas, porque V. pode escolher entre três tamanhos diferentes de conchas: a) para busto pequeno; b) para busto médio: e c) para busto cheio!
(Revista O Cruzeiro, 09/07/1955)


Este é o fabuloso De Millus, feito para favorecer a sua beleza. ERGUE, PRENDE E REALÇA com naturalidade. Desenhado anatomicamente, não comprime o seio, não deforma o busto, não sai do lugar. 40 modelos exclusivos – um para cada tipo. Conheça o seu modelo... e tenha o busto que você quer! (Revista Manchete, 22/10/1955)

LEILA FELIPE, MISS SUÉTER 1955

.....Tal como nos certames de beleza de maior prestígio, o Miss Suéter era composto de garotas consideradas fortes e fracas concorrentes, assim como de satisfação e insatisfação por parte do público, quando os resultados eram anunciados.

A morena Leila Felipe, disputando com uma loura, foi escolhida Miss Suéter de 1955. O concurso, realizado em São Paulo com grande interesse do público, foi patrocinado por Moinho Santista, Mappin, Tricot-Lã e Max-Factor. O seu encerramento foi realizado na “boite” Bambu, na capital paulista, com o Baile das Suéteres.


A loura Vilma Chandler, representante da TV-Record, deu um grande exemplo de espírito esportivo. Franca favorita, inclusive por parte da maioria das demais competidoras, desde os desfiles preliminares do concurso (quando foi sempre a mais votada), derrotada no final apenas por um voto, foi a primeira a abraçar a adversária vitoriosa.


O Sr. Simon Lierner, diretor de Tricot-Lã, entrega a taça à vitoriosa Leila Felipe, Miss Suéter de 1955. (Revista Manchete, 02/07/1955)



VERA LÚCIA E MARIA ELIZABETH, DAS PASSARELAS DO MISS SUÉTER PARA AS DO MARACANÃZINHO


.....Nos anos 60, duas garotas que ostentaram o título de Miss Suéter ficaram famosas nas passarelas do concurso Miss Guanabara: Vera Lúcia Couto, Miss Guanabara 1964, e Maria Elizabeth Ridzi, vice-Miss Guanabara 1966.


Ano de 1961. Vera Lúcia Couto dos Santos, eleita Miss Suéter do Clube Renascença, ladeada por duas candidatas do Miss Guanabara 1961, Miss Satélite Clube e Miss Associação Atlética Banco do Brasil. Detalhe: A Miss AABB, Associação Atlética Banco do Brasil, é Zaira Pimentel, Miss Pernambuco 1957, que morava no Rio de Janeiro na época e foi convidada para representar a AABB no concurso Miss Guanabara 1961, onde foi uma das mais fortes candidatas, embora não tenha obtido classificação entre as semifinalistas. (Foto: Revista Manchete, 17/06/1961)


Vera Lúcia Couto, da passarela do Miss Suéter 1961 para as do Maracanãzinho e Long Beach, onde foi vice-Miss Guanabara, vice-Miss Brasil e terceira colocada no Miss Beleza Internacional 1964.(Foto: Revista fatos & Fotos, 11/07/1964)


Maria Elizabeth Ridzi, da passarela do Miss Suetér, no concurso promovido pelo Social Clube de Meriti, em São João do Meriti, RJ, para a do Maracanãzinho, onde foi eleita vice-Miss Guanabara 1966. (Foto: Revista Manchete, 25/06/1966)

MISS SUÉTER NA TV GLOBO


Na novela O Profeta, produzida e exibida pela Rede Globo, no horário das 18 horas, de outubro a maio de 2007, a atrz Carol Castro fez o papel de uma jovem ambiciosa dos anos 50 que foi eleita Miss Suéter. (Foto: Divulgação-Rede Globo)

DEPOIS DO SILICONE


.....Existe uma banda baiana chamada Miss Suéter, cujo nome é uma homenagem à dupla João Bosco e Aldir Blanc, autores da canção homônima. A banda toca samba, funk, rock, bolero e frevo. Fazem parte da Miss Suéter os seguintes artistas: Antenor Cardoso (percussão), Carlos “Ed” Veiga (baixo), Felipe Dieder (bateria), Lia Lordelo (vocal), Luciano “Pajé” Simas (guitarra e vocal), Pedro Santana (violão e vocal) e Ronei Jorge (vocal e guitarra). (Foto:www. festadasemana.pop.com.br).

.....O concurso Miss Suéter (suéter do inglês sweater, agasalho fechado feito de malha de lã), cujas candidatas recorriam aos sofisticados sutiãs, do francês soutien-gorge, desapareceram e perderam totalmente o sentido nos dias de hoje. Garotas lindas andam pelas ruas vestindo, com a maior naturalidade, blusas transparentes, decotes ousadíssimos e... nenhum sutiã. E quanto aos seios belos que ostentam, todos desconfiam que sejam de silicone.

.....Os pivots de que falam a letra da música Miss Suéter, de João Bosco e Aldir Blanc, chegaram a ser um símbolo de status nos anos de 1950. Era chique extrair um, dois ou mais dentes e substitui-los por outros de ouro, ou então colocar o metal precioso em pequena quantidade entre um dente e outro. A sigla INPS, também citada na música, era a sigla do Instituto Nacional de Previência Social, hoje INSS, Instituto Nacional de Seguro Social.

.....Os tempos mudam, as Misses mudam, mas a nostalgia de certas coisas mágicas, como o concurso Miss Suéter, ainda permanece. Pelo menos enquanto alguém em algum lugar cantarolar, como eu cantarolo agora, com o coração, a música de João Bosco e Aldir Blanc.

Miss Suéter

Composição de João Bosco e Aldir Blanc

Fascínio tenho eu por falsas louras
(aí, a negra lingerie),
com sardas, sobrancelha feita a lápis e perfume da Coty.
Na boca, dois pivots são graciosos entre jóias naturais
e olhos tais minúsculos aquários de peixinhos tropicais.
Eu conheço uma assim, uma dessas mulheres
que um homem não esquece.
Ex-atriz de TV, hoje é escriturária do INPS.
E que, dia atrás, venceu lá no concurso de Miss Suéter

Na noite da vitória, emocionada, entre lágrimas falou:
- "Nem sempre a minha vida foi tão bela, mas o que passou, passou...
Dedico esse título a mamãe que tantos sacrifícios fez
pra que eu chegasse aqui, ao apogeu, com o auxílio de vocês."

Guardarei para sempre seu retrato de miss com cetro e coroa.
Com a dedicatória que ela em letra miúda, insistiu em fazer:
"Pra que os olhos relembrem quando o teu coração infiel esquecer.
Com um beijo, Margot"

*****

sábado, 3 de abril de 2010

SESSÃO NOSTALGIA - Ana Cristina Medeiros Sguissardi, Miss Pernambuco 1989, o glamour continua

Daslan Melo Lima

      A gravataense Ana Cristina Medeiros Sguissardi, nascida Ana Cristina de Medeiros, a única Miss Gravatá que foi eleita Miss Pernambuco, era ansiosamente aguardada para compor a comissão julgadora do último concurso Miss PE, realizado no Hotel Vila Hípica, em Gravatá, no dia 28 de março. No entanto, para frustração de muita gente, Ana Cristina não chegou em sua cidade natal a tempo de marcar presença no evento.


Ana Cristina Medeiros Sguissardi, Miss Pernambuco 1989, em foto recente. (Imagem: www.blogfernandatavares.com)

      Ana Cristina está radicada no Rio de Janeiro, onde mora numa belíssima cobertura, no bairro de Botafogo. Está casada há 14 anos com o industrial petrolífero Luís Sguissardi do Carmo. Desta união tem uma filha, Ana Carolina,13 anos, e dois filhos do primeiro casamento dele, André, 25 anos, e Pedro, 23 anos, criados por ela. Ana Cristina é formada em Fisioterapia, com bacharelado na área. Especializou-se em técnicas da medicina oriental: shiatsu, acupuntura, dietética chinesa, drenagem linfática e terapia manual. Está concluindo pós-graduação “sensu lato” em Acupuntura e em 2011 dará inicio a um mestrado em Medicina Tradicional Chinesa ou Gerontologia.

      Dias antes da realização do Miss Pernambuco 2010, encontrei no blog da jornalista Fernanda Tavares, www.blogfernandatavares.com, a entrevista abaixo:

Blog de Fernanda Tavares – Ana, recordando aqueles tempos, este ano fez 21 anos que Gravatá teve a primeira e única Miss Pernambuco, como você recebeu a notícia que, durante todo este tempo, só agora a cidade de Gravatá será palco do maior concurso de beleza do estado?
Ana Cristina - Fiquei muito feliz e orgulhosa ao saber da realização, pela primeira vez, do concurso de Miss Pernambuco em Gravatá, e confesso que fiquei emocionada e envaidecida de ter sido lembrada de que fui a primeira e única gravataense a ostentar o título de Miss Pernambuco. Fico honrada em poder participar como jurada desse concurso, que me deu a oportunidade de conhecer um mundo completamente diferente do que eu vivia, levando-me a trilhar caminhos que me mostraram novos horizontes e perspectiva de vida melhor.
----------
Blog - Daquela época o que ficou, qual o aprendizado e o que você sentiu mais falta?
AC - Daquela época ficou-me a emoção de chegar a minha cidade natal e ser recebida pelos amigos, conhecidos e população em geral, com aplausos carinhosos e demonstração de afeto, o que jamais esquecerei.
----------
Blog - Estar de volta, em sua terra natal, e de volta ao cenário, desta vez como jurada, qual é o peso maior?
AC - Com certeza o peso maior é estar de volta como jurada do concurso, pois me foi atribuída uma responsabilidade muito grande de julgar e contribuir para a escolha da melhor representante do Estado de Pernambuco.
----------
Blog - E a saudade da família, como você lida com isso, e como é estar de volta depois de tanto tempo?
AC - Ficarei em Gravatá apenas três dias, durante os quais buscarei aproveitar da melhor maneira possível junto à minha família e amigos, para matar a imensa saudade. Além, é claro, de me preparar psicologicamente para ser jurada desse evento tão importante.
----------
Blog - E a vida de glamour continua, ou você se dedica apenas ao lar e os filhos?
AC - A vida de glamour ainda continua, só que de forma diferente. Continuo viajando e conhecendo lugares e pessoas interessantes, por conta do trabalho do meu marido, que atua na indústria petrolífera, e sempre que posso viajo com ele para congressos ao redor do mundo, que é sempre de um grande prazer e oportunidade de aprendizado cultural.
----------
Blog - O que você acha que mudou daquela época do concurso do Miss aos dias atuais? Qual conselho você daria às meninas que participam do concurso de beleza como uma porta para a vida de modelo e passarelas?
AC - Aos meus 20 anos eu vislumbrava ser uma manequim profissional, se possível internacional; atualmente, candidatas a manequim precisam começar muito cedo, com 12 a 13 anos de idade. O conselho que eu daria para candidatas ao concurso de Miss Pernambuco é de que nunca parem ou interrompam seus estudos, pois eles são a chave do conhecimento, do crescimento e do sucesso, tanto no plano pessoal quanto profissional, e que corram persistentemente atrás dos seus sonhos, buscando atingir o sucesso nas passarelas e felicidade em sua vida.


Ana Cristina Medeiros, na noite de 11/03/1989, quando foi eleita Miss Pernambuco 1989. (Foto: Jornal do Commercio, Recife, PE, 13/03/1989)

          Os detalhes do concurso Miss Pernambuco 1989 já foram focalizados aqui, na Sessão Nostalgia, e continuam on-line, nos arquivos de PASSARELA CULTURAL,

      Espero que todas as concorrentes aos concursos brasileiros de misses de 2010 possam assimilar bem os sábios conselhos de Ana Cristina, e que daqui a muito tempo o glamour em suas vidas possa continuar, embora de forma diferente, como continua na caminhada de Ana Cristina Medeiros Sguissardi, Miss Pernambuco 1989.

*****